Publicidade
Cotidiano
Notícias

Conselho de Medicina do RJ vai apurar atendimento a sargento morto no casamento

Atendimento médico a Fábio Gefferson dos Santos Maciel, 33, será alvo de investigação pelo órgão do Estado do Rio de Janeiro. O sargento da Marinha sofre um corte na veia femoral e morreu seis horas depois de casar 23/11/2012 às 12:21
Show 1
Fábio e Geise ficaram apenas seis horas casados
acritica.com Manaus (AM)

Possível negligência no atendimento médico ao sargento da Marinha do Brasil Fábio Gefferson dos Santos Maciel, 33, que morreu na madrugada da última segunda-feira (19), logo após se casar no Rio de Janeiro, vai ser alvo de uma sindicância que será realizada pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj).

O Conselho informou, por meio de nota, que será apurado como foi realizado o atendimento oferecido ao sargento. O Cremerj vai investigar se a transferência do paciente da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para hospital municipal Paulino Wernec, seguiu a orientação de um enfermeiro ou médico.

De acordo com a instituição, o procedimento de avaliação deve ser feito por um médico. O órgão informou, ainda, que a unidade hospitalar Paulino Werneck, não possui condições de tratar pacientes em estado grave. O Cremerj solicitou o laudo médico e vai investigar as unidades de sáude para onde foi levada a vítima.

O acidente

O militar tropeçou e caiu com um copo que estava no bolso, que cortou a veia femural, que fica na região da virilha e tem grande fluxo sanguíneo. Fábio Gefferson foi socorrido por amigos e familiares, mas não resistiu ao ferimento. A família afirma que houve demora no atendimento em duas unidades de saúde do Rio de Janeiro (RJ).

A secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro alega que Fábio já chegou morto no hospital municipal Paulino Werneck. Antes de chegar ao hospital Paulino Werneck, o paciente foi levado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Cocotá, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio de Janeiro. Ao todo foram cerca de 5 km de percurso.

O incidente aconteceu após o baile de casamento, do lado de fora do clube onde acorreu a cerimônia, também na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio.  

O corpo do sargento foi enterrado na manhã desta quinta-feira (22), em Manaus.

Missão e missa

Fábio, que teve fim trágico do casamento com a autônoma Geise Guimarães, chegou a servir no Haiti, em uma missão da força militar da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2006. Na manhã desta quinta-feira (22), a família e amigos  realizaram o sepultamento do corpo dele.

A missa de sétimo dia do militar será realizada neste domingo (25), na Capela São João Evangelista, com previsão para começar às 19h. A capela localizada no bairro Lírio do Vale, Zona Oeste de Manaus.

Atendimento

O médico Mário Viana descreve como altamente graves acidentes que provocam ferimentos na veia femoral.  “Como cirurgião e legista já me deparei várias vezes com situações como essa. A veia femoral e a artéria femoral ficam na raiz da coxa e a uma profundidade de dois a três centímetros da pele. Um corte nessa área é muito grave porque, dificilmente não provoca uma grande hemorragia”, pondera.

Ele complementa, comparando a outra região do corpo humano que oferece alto grau de risco quando atingida por qualquer objeto cortante. “Os efeitos de um ferimento na veia femoral são semelhantes aos provocados na área do pescoço quando, por exemplo, atinge a jugular. O sangue chega a jorrar e, se não for estancado, em poucos minutos vai a óbito”, alerta Vianna.