Publicidade
Cotidiano
Cotidiano, Naufrágio, acidente fluvial, Corpo de Bombeiros

Corretor de imóveis desaparecido no rio Negro não recebeu socorro imediato

Ocupantes da embarcação que colidiu contra a lancha pilotada por Alle Mousse não perceberam no momento do acidente, que havia uma pessoa dentro dela  05/01/2012 às 14:44
Show 1
Conforme a sobrinha da vítima, Alle Mousse era acostumado a fazer passeios fluviais pelo rio Negro, além de saber nadar
Síntia Maciel Manaus

Equipes do Corpo de bombeiros continuam as buscas pelo corpo do corretor de imóveis Alle Mousse, 46, nas imediações da praia da Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, desaparecido desde o último 31 de dezembro, após a lancha que ele conduzia colidir com uma embarcação de maior porte.

De acordo com a sobrinha de Mousse, a técnica em segurança do trabalho, Bianca Mousse, 24, no momento no acidente, Alle havia deixado o barco de um amigo – no qual passaria o Reveillon -, e seguia em uma lancha em direção ao píer do Tropical Hotel, para apanhar uma amiga que o aguardava, e retornar para o barco.

Durante a colisão os ocupantes da embarcação de maior porte não teriam notado que Alle estava na lancha e seguiram viagem.     

“A embarcação que colidiu contra a lancha em que o meu tio estava, navegava com cinco pessoas no interior, e uma delas estava grávida. Com o impacto da batida, a grávida passou mal e trataram de socorrê-la. Após o acidente, as pessoas que estavam no barco ficaram sabendo que havia alguém na lancha e agora bem depois do acidente”, informa Bianca, que também ressaltou que os ocupantes da embarcação envolvida no acidente estão acompanhado os trabalhoso dos Bombeiros e prestando apoio à família.

Segundo ela, Alle era acostumado a participar de passeios fluviais pelo rio Negro e também sabia nadar.

“Ainda temos 50% de esperanças de encontrá-lo vivo. Mas se não For possível, queremos pelo menos encontrar o corpo dele, para que tenha um enterro digno”, desabafa a técnica em segurança do trabalho.