Publicidade
Cotidiano
Notícias

Criança se machuca ao treinar com adulto durante aula de luta em academia de Manaus

Segundo a criança de dez anos, um adulto de 30 anos lhe agrediu durante um treino. O fato desperta a atenção para os cuidados que se deve ter durante a prática de lutas e para a falta de legislação sobre o assunto 04/01/2012 às 15:29
Show 1
Rachel Nunes mostra o Boletim de Ocorrência da suposta agressão física sofrida pelo enteado em uma academia de Manaus
Lorenna Serrão Manaus

Na semana passada um menino de dez anos se machucou em um treino de muay thai em uma academia de Manaus. A criança alega que um colega com quase 30 anos teria lhe agredido e que o professor não teria feito nada na ocasião. O fato desperta a atenção para os cuidados que se deve ter durante a prática de lutas.    

As artes marciais são uma boa opção para crianças e adolescente “descarregarem” suas energias, mas os pais precisam estar atentos quanto à legalidade do local e ao registro profissional do professor.

Em algumas academias é comum encontrarmos crianças praticando lutas com adultos.

“Aqui não há separação, todos treinam juntos. É claro que o muay thai é um esporte um pouco mais violento, pois os lutadores usam cotovelos, canelas, pernas, mas o professor não é nenhum idiota, se o atleta apresentar condições de estar no meio dos mais velhos, ele vai treinar”, pontuou Stefferson Pontes, dono da academia Atlética Amazonfit, onde aconteceu a possível agressão no menino de dez anos.

Separação de turmas por idade
De acordo com o Presidente do Conselho Regional de Educação Física do Amazonas, Jean Carlos Azevedo da Silva, não existe nenhuma lei que proíba que crianças e adolescentes treinem junto com adultos, porém isso não é o mais correto.

“Não tem uma norma sobre isso, mas o professor precisa ter uma dinâmica adequada para cada situação, por isso a melhor opção é que as academias adotem turmas separadas por idade, para que possíveis acidentes sejam evitados”, completou Azevedo.

Para o professor de muay thai, Dídimo Neto uma criança em qualquer circunstancia nunca deve treinar com um adulto.

“O treino com criança é totalmente diferente, é livre, na verdade uma grande brincadeira, o professor precisa ter bom senso, criança é criança e gosta de diversão, por isso as aulas são mais descontraídas, bem diferentes do que acontece em um treinamento com adultos”, explicou Neto que também é dono de uma academia de Mauy Thai.

Incidente
Segundo a criança de dez anos, um adulto de 30 anos lhe agrediu durante um treino, no último dia 26 de dezembro.  

“Ele começou a “brincar” com a minha cabeça, eu não gostei e dei um soco e ele revidou com um chute na minha perna. O Professor não fez nada e ainda disse que guerreiros não choravam e que eu deveria levantar a cabeça e seguir em frente”, comentou o menino.

De acordo com a madrasta do aluno, Rachel Nunes, ele ficou com a coxa roxa e deixou a academia mancando. Ela procurou o responsável pelo estabelecimento, Stefferson Pontes, para saber o que tinha acontecido, mas o empresário teria desconversado sobre o fato.

“O Stefferson se identificou como coordenador da academia e falou que o que aconteceu foi normal. Eu não gostei desta resposta. Percebi que ele estava abalado e isso me deixou revoltada”, completou Rachel.

O dono da academia disse que os alunos apenas repetiram os exercícios ensinados  pelo professor.

“O muay thai é um esporte de contato, o que houve foi algo normal, não foi uma agressão, será que um cara de 30 anos iria ter coragem de bater em uma criança? Eu não acredito nisso. O Menino luta muito, tem talento o que aconteceu foi normal”, disse Pontes.

Registro Profissional
O Presidente também faz uma alerta quanto ao registro do professor e do local.

“É importante verificar se o profissional é registrado no Conselho Federal de Educação Física, assim com o a academia, essas são as primeiras dicas na hora de procurar um local para colocar uma criança para realizar atividades físicas”, finalizou Jean Carlos Azevedo da Silva.

O registro pode ser conferido no site da Confef. e no caso especifico do Muay Thai no da Confederação.