Publicidade
Cotidiano
Notícias

Cyro Miranda diz que Dilma e sua equipe econômica são um fracasso

O senador advertiu que a estabilidade econômica e o controle da inflação obtidos pelo Plano Real podem estar em risco e alerta que em vários estados a inflação já estourou o limite da meta e tornou-se uma ameaça 27/02/2013 às 16:20
Show 1
Senador considera um fracasso a política econômica do Governo Dilma Rousseff
Agência Senado Brasília

O  senador Cyro Miranda (PSDB-GO) previu que a situação do Brasil “deverá se deteriorar de forma drástica” e advertiu que a estabilidade econômica e o controle da inflação obtidos pelo Plano Real podem estar em risco. Ele avisou que a inflação já estourou o limite da meta em diversos estados e tornou-se uma perigosa ameaça à economia. Segundo o senador do PSDB, o Brasil “está prestes a espatifar-se no final do governo Dilma, porque é um fracasso na área econômica”.

Cyro criticou a postura do ex-presidente Lula que, segundo o parlamentar, em resposta ao discurso do senador Aécio Neves (PSDB-MG) sobre os treze erros do governo do PT, disse que o povo brasileiro deveria adiar para 2014 o debate das propostas de governo.

– Isso revela a arrogância e a presunção, já que todos os partidos que pretendem oferecer candidatos às eleições têm o dever de apresentar propostas – afirmou.

De acordo com ele, o governo do PT tenta fugir ao debate dos motivos que fizeram a economia empacar, o PIB agonizar, os investidores sumirem e a bolsa cair.

– O cidadão brasileiro merece respeito. Fugir ao debate é uma forma de negar a realidade que se delineia diante de todos nós. Os indicadores econômicos mostram tendências bem diferentes das previsões apontadas pela equipe do governo.

O senador não poupou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, por “maquiar números em previsões otimistas que, contudo, não se confirmaram". Ele citou publicações internacionais como um artigo da revista The Economist que pede a demissão de Mantega pelas previsões erradas sobre o desempenho do PIB em 2012. Outro exemplo dado por ele foi a reação do ministro a uma projeção de 1,5% feita por economistas do Credit Suisse.

– Ele disse que era uma piada, porque seria muito mais do que isso. Não foi – lamentou.

Petrobrás

Cyro Miranda apontou um suposto erro da equipe econômica, que teria dado ao Tesouro Nacional um prejuízo de mais de R$ 4 bilhões sob a justificativa de manter superávit fiscal. Ele ainda acusou o governo de tentar fazer o ajuste fiscal às custas de ações da Petrobrás que pertenciam ao Fundo Soberano do Brasil, num momento em que a estatal liderou as perdas nas Bolsas de Valores.

– O Tesouro agiu na contramão das regras para o investidor. Comprou as ações em alta e as vendeu em baixa. Assim, dois anos depois de adquirir os papéis, o Tesouro recebeu R$4 bilhões a menos do que pagou.

Em aparte, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) informou que Mantega deve comparecer à Comissão de Assuntos Econômicos brevemente para debater “não apenas a mágica fiscal do final de ano para escamotear a realidade das finanças públicas do Brasil, mas para falar da economia à deriva, os problemas que afetam a economia, colocando em risco o futuro do Brasil.”