Publicidade
Cotidiano
Notícias

Dados do IBGE apontam queda na produção industrial do Amazonas

Nesses setores destacaram-se, respectivamente, os recuos na fabricação dos itens: telefones celulares e televisores; e motocicletas. 08/11/2012 às 20:05
Show 1
Em Setembro, a produção industrial amazonense continuou caindo.
acritica.com Manaus

Durante o mês de setembro de 2012, a produção industrial do Amazonas recuou 1,3%, comparado ao mês anterior, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso significa a perda de 7,9% do ganho registrado no mês de agosto. No entanto, neste terceiro trimestre, a indústria mostrou avanço de 2,3%, interrompendo trimestres de taxas negativas.

Na comparação com igual mês do ano anterior, o setor industrial do Amazonas registrou queda de 6,8% em setembro de 2012. No confronto com igual período do ano anterior, o total da indústria recuou tanto no fechamento do segundo trimestre do ano (-8,3%) como no acumulado janeiro-setembro (-7,0%). A taxa anualizada, índice acumulado nos últimos doze meses, recuou 3,6% em setembro de 2012, e permaneceu com a trajetória descendente iniciada em março último (4,1%).

Nesses setores destacaram-se, respectivamente, os recuos na fabricação dos itens: telefones celulares e televisores; e motocicletas. Vale citar também as influências negativas vindas dos ramos de máquinas e equipamentos (-8,3%) e equipamentos de instrumentação médico-hospitalares, ópticos e outros (-6,5%), pressionados em grande parte pela menor fabricação de fornos de micro-ondas, no primeiro ramo, e de relógios no segundo.

Por outro lado, a contribuição positiva mais relevante veio do setor de alimentos e bebidas (4,6%), impulsionado, principalmente, pelo avanço na produção de preparações em xarope e em pó para elaboração de bebidas.

No corte trimestral, observa-se que a indústria amazonense, ao recuar 8,3% no terceiro trimestre de 2012, diminuiu o ritmo de queda frente ao resultado do segundo trimestre do ano (-10,3%), ambas as comparações contra igual período do ano anterior. Por outro lado, a principal perda entre os dois períodos foi verificada no setor de outros equipamentos de transporte, que passou de -17,1% para -29,7%.

O índice acumulado para os nove primeiros meses de 2012 assinalou recuo de 7,0% frente a igual período do ano anterior, com taxas negativas, já que nove das onze atividades pesquisadas apontaram queda na produção.

A indústria de outros equipamentos de transporte (-17,7%) exerceu a maior influência negativa no resultado global, vindo a seguir os impactos registrados por material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações (-8,0%), máquinas e equipamentos (-17,9%) e edição, impressão e reprodução de gravações (-9,1%). Nessas atividades sobressaíram, respectivamente, os recuos na produção de motocicletas; telefones celulares; aparelhos de ar condicionado e fornos micro-ondas; e cds e dvds.

*As informações são da assessoria do IBGE.