Publicidade
Cotidiano
Notícias

De olho nas eleições de 2016, Rede Sustentabilidade começa a montar sua estratégia

Neste domingo, Marina Silva se reúne com o diretor da legenda, Tácius Fernandes, para definir os próximos passos para legalização da legenda 25/04/2015 às 12:18
Show 1
Idealizada por Marina Silva, Rede Sustentabilidade foi lançado em 16 de fevereiro de 2013 e precisa de 492 mil assinaturas para a oficialização. 442 mil assinaturas já foram aprovadas pelo TSE
Natália Caplan Manaus (AM)

A ex-senadora Marina Silva receberá, amanhã (26), Tácius Fernandes, um dos porta-vozes da Rede Sustentabilidade do Amazonas, em Brasília (DF). Também um dos diretores executivos nacionais do partido — que ainda guarda regularização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) —, ele está desde a última quinta-feira (23) na capital federal, onde teve encontros rápidos com a terceira colocada nas eleições presidenciais de 2014.

“Até o momento, não conversamos sobre política. Apenas como amigos. Domingo, realmente teremos uma reunião para conversar sobre projetos e planos para o partido no Brasil e no Amazonas”, disse por telefone, ao informar que retornará a Manaus somente na próxima terça-feira (28). Entre os assuntos em pauta devem constar metas estratégicas para as eleições de 2016.

De acordo com ele, não há previsão de que Marina venha ao Estado nos próximos meses. Mentora da nova sigla, ela tinha uma visita marcada para março, porém mudou a agenda para receber um prêmio concedido pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. “Estávamos recolhendo assinaturas e ela viria para nos dar apoio. Infelizmente, a premiação aconteceu na mesma data”, lembrou.

Uma das probabilidades para o próximo ano é de que o ex-deputado estadual Marcelo Ramos seja candidato à Prefeitura de Manaus pela Rede. Segundo Fernandes, há expectativa sobre a decisão do político — atualmente no PSB — sobre para qual legenda migrará. “Ele compareceu a última reunião da Rede, há um mês. Estamos sempre em contato. Queremos muito, mas claro que a decisão é dele”, declarou o porta-voz.

Questionado sobre o andamento da regularização da legenda, o diretor executivo informou que apenas aguarda a liberação das certidões. O partido foi lançado em 16 de fevereiro de 2013 e precisa de 492 mil assinaturas determinadas em lei para à oficialização. Aproximadamente 442 mil assinaturas já foram aprovadas pelo TSE, das quais 13 mil recolhidas no Amazonas. A Rede precisa validar mais 32 mil.

“Entramos com mais de 80 mil fichas nos cartórios e estamos esperando eles devolverem as declarações. Precisamos de apenas 40 mil delas. Estamos trabalhando para entrar com o processo no TSE na primeira quinzena de maio. A Rede já existe, já nascemos. Só falta a nossa certidão”, enfatizou.

Ramos só decidirá após aprovação

Na última quinta-feira (23), o pré-candidato à Prefeitura de Manaus em 2016, o ex-deputado estadual Marcelo Ramos (PSB) informou que só decidirá para qual partido migrará depois que a criação da Rede Sustentabilidade for oficializada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar de ter grande interesse na filiação, a legenda cogita dar suporte à candidatura do político, independentemente da escolha dele.

“Ele é independente. A Rede tem autonomia e independência também. Se, por acaso, ele não vier para Rede, vamos continuar conversando porque o apoiamos quando ainda estava no PSB [na candidatura para o Governo do Amazonas, no ano passado]”, afirmou o porta-voz da sigla no Estado e membro da diretoria nacional, Tácius Fernandes. “Caso ele fique conosco, temos a intenção de conversar com outros partidos para montar um programa para Manaus”, adiantou.