Publicidade
Cotidiano
Notícias

Defesa de doméstica que cortou barriga de grávida em Manaus alega problemas mentais

O advogado da acusada, pediu que um exame mental seja feito em sua cliente. Segundo Francisco Boary, Daiana demonstrou estar mais tranquila 27/11/2012 às 09:33
Show 1
Dayana Pires cortou a barriga de uma grávida de 9 meses para roubar seu bebê
Joana Queiroz ---

O advogado Francisco Boary entrou com pedido de exame de sanidade mental para a doméstica Daiana Pires dos Santos, acusada de cortar a barriga de Odete Pego Ferreira, 22, que estava  grávida de nove meses, para roubar-lhe o bebê, no dia 25 de setembro deste ano.

Boary está cuidando da defesa da ré e disse ontem que o objetivo do exame é avaliar o estado mental em que a doméstica se encontrava no dia que cometeu o crime. “Quem tenta tirar uma criança da barriga da outra com uma lâmina de barbear só pode estar com algum problema mental”, disse o advogado.

Segundo Boary, nas últimas conversas que teve com a cliente, Daiana demonstrou estar mais tranqüila. Ela já estava respondendo as perguntas que foram feitas, diferente do que aconteceu nos primeiros contatos que o advogado teve com ela, quando Daiana se mantinha calada. 

Hoje, a doméstica será ouvida pela primeira vez em juízo pelo  juiz da 3ª Vara do Tribunal do Júri, Mauro Antony, e o promotor de Justiça Rogério Marques. A audiência está marcada para começar às 9h. Além de Daiana o juiz vai ouvir também  seis testemunhas, sendo três de defesa e três de acusação, que foram arroladas pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Porém, a vítima não vai comparecer à audiência, por morar atualmente no Município de Coari (a 370 quilômetros de Manaus). O juiz disse que vai emitir uma carta precatória para que ela seja ouvida pelo juízo de lá.

O crime

Daiana é acusada de ter atraído a vítima para a sua casa, localizada na avenida Solimões, Jardim Mauá, Zona Leste, e, com uma lâmina de barbear, ter cortado a barriga dela, retirando o bebê em um parto ‘forçado’. Os crimes aconteceram na presença do filho de Odete, que ficou abalado emocionalmente, o que, segundo o promotor, poderá acarretar conseqüências traumáticas pelo resto da vida da criança.

Daiana está presa na cadeia feminina de Manaus, localizada no km 8 da BR-174 (Manaus - Boa Vista).

O promotor Rogério Marques, autor da denúncia, disse que o crime, uma tentativa de homicídio, foi precedida de dissimulação, uma vez que a acusada, momentos antes, demonstrou falsa amizade para com a vítima, convidando-a a ir até a casa deça para doar algumas coisas para o enxoval do bebê.

Ainda segundo o promotor, ao ferir Odete, Daiana tinha a intenção não só de matá-la, como também esconder o corpo para, dessa forma, conseguir ficar com o bebê. No depoimento que prestou na delegacia, Daiana disse que pretendia sepultar a vítima no quintal, de forma que nunca mais ela fosse encontrada, o que caracteriza a intenção de homicídio e ocultação de cadáver.