Publicidade
Cotidiano
Notícias

Defesa Sanitária rebate denúncia de desativação de posto no AM

Internauta  teme  ameaça ao rebanho por falta de fiscalização e acusa a Sepror de demonstrar  desinteresse na fiscalização 01/09/2012 às 16:12
Show 1
Posto de Defesa Sanitária de Boca do Acre abandonado
acritica.com ---

O presidente da  Comissão de Defesa Sanitária Animal e Vegetal ( Codesav) Sérgio Muniz, disse na tarde deste sábado (1º) que o o posto da Comissão de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Codesav), no município de Boca do Acre (1.028 quilômetros de Manaus)  não se encontra abandonado, apenas passa por dificuldade de pessoal, porque  profissionais concursados para trabalhar na cidade não compareceram para assumir a função  e o Governo efetua nova chamada de profissionais.


 ‘Improcedentes’, disse  Muniz em relação à denúncia feita por um intenauta JA.Aguia ao portal acrítica.com de que o abandono do posto poderia levar a administração do governador Omar Aziz ao “embargo de carnes brasileiras para a Europa e outros países causando prejuízos milionários à nossa economia”  e que a “Sepror ( Secretaria de Produção Rural) demonstra que pouco se interessa pela fiscalização”

O município de Boca do Acre tem 362 mil cabeças de bois e vem sendo considerada a maior na criação de gado, superando o município de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus).

De acordo com Sérgio Muniz está sendo feita fiscalização móvel no rebanho  que continua livre  e com o mesmo status de barreira. “Tanto o rebanho de Boca do Acre como o Guajará-Mirim são livres de febre aftosa”, disse, ao destacar que o rebanho de Boca do Acre mantem o mesmo status aos de outros estados.

Ele explicou que há dificuldades de profissionais porque mesmo os que passam em concursos públicos se recusam a assumir por causa das distâncias destas cidades. Entretanto disse que providências já vêm sendo tomadas neste sentido e calcula que Boca do Acre deve receber 14 profissionais dentre os que já estão sendo  chamados.


Ao achar que o internauta pode está  ‘desinformado”, o presidente da Codesav  explicou que ao contrário do que este expõe em sua queixa, o setor agropecuário tem sido alvo de preocupação e incentivo por parte do Governo do Estado, que, além do concurso público, a posse do candidato, o treinamento e a distribuição de pessoal, criou a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas, dentro do programa Amazonas Rural;  ao mesmo tempo em que desvinculou a Codesav que antes era um departamento da Sepror, dando-lhe autonomia administrativa e financeira.

Procedência segura

Em sua queixa o internauta expõe sua preocupação em a  Organização Internacional de Epizooties (OIE), instituição consultiva da Organização Mundial do Comércio (OMC) que cuida da saúde animal em todo o mundo, e que situa o Acre e os municípios de Guajará e Boca do Acre no Amazonas como região em que o gado, além de boa saúde, é de procedência segura.

O presidente da Codesav, reafirma essa condição e disse que a fiscalização continua sendo feita em conjunto com  a Sefaz.