Publicidade
Cotidiano
Notícias

Deputado estadual é contra decisão de desembargador sobre ‘Quinteto Fantástico’

O deputado estadual Luiz Castro disse nesta terça-feira (29) que é contra a decisão que validou liminar favorável à manutenção do “quinteto fantástico” na Polícia Civil 29/05/2012 às 14:50
Show 1
Deputado Luiz Castro, do PPS
acritica.com Manaus

O deputado estadual Luiz Castro, líder da bancada do PPS na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), afirmou nesta terça-feira (29/05), que discorda da decisão tomada pelo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Ary Moutinho, ao validar as liminares favoráveis aos cinco delegados de polícia que teriam sido nomeados sem terem sido aprovados em concurso público da Poícia Civil. Segundo ele, o governador Omar Aziz (PSD) foi “induzido ao erro” por seus assessores.

Na última segunda-feira (28/05), o desembargador Ari Moutinho, presidente da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, declarou que o Governo do Estado deve explicar porque decidiu nomear cinco candidatos reprovados em concurso público para o cargo de delegado da Polícia Civil.

Na ALEAM, o parlamentar disse que o governador nomeou os cinco equivocadamente, num contraponto ao que é pregado pelos educadores do próprio governo, que sempre pregam que as pessoas devam ser reconhecidas pelos seus méritos e não por favorecimentos. “Esses cinco delegados são um atestado de que os conhecimentos julgados pelo governo foram obtidos por favorecimento e não por seus méritos, uma vez que até candidato que tirou em milésimo lugar no concurso foi nomeado em detrimento de quem tirou em 130º lugar”.

Luiz Castro disse que defende a Educação como a melhor forma de se obter conhecimentos, discordando, com veemência, da prática que se utilizam alguns assessores do governo de praticar “a corrupção abertamente”.

Ele disse que, enquanto o Amazonas possui 4.700 cargos comissionados, o governo da Alemanha, “tem apenas 2.700 cargos comissionados”.

Segundo ele, “a maior parte desses cargos em comissão não passam de ‘penduricalhos’, indicados por políticos que acabaram induzindo o governador Omar Aziz ao erro”.

Ele comentou que concurso público tem quem ser sério. “A seriedade nos concursos públicos têm que ser regras de comportamento, para que se acabe um dos piores vícios de corrupção no Amazonas, que é o de fraudar concursos”.

*As informações são da assessoria de imprensa do deputado estadual Luiz Castro.