Publicidade
Cotidiano
Notícias

Derrubada de floresta em Área de Preservação Ambiental do AM é denunciada por ONG

O presidente da ONG, Jó Farah, critica a autorização concedida para a derrubada da grande área de floresta. Moradores afirmam que a ação foi rápida 10/12/2012 às 07:18
Show 1
Tratores e caminhões estavam no terreno, onde foram cortadas muitas árvores
Carolina Silva ---

O desmatamento de um imenso terreno dentro da Área de Preservação Ambiental (APA) do Tarumã, Zona Oeste, para, supostamente, dar lugar a mais um empreendimento particular, deverá ser investigado pelo Ministério Público Federal (MPF/AM). A denúncia foi feita na semana passada ao órgão pela Organização Não-Governamental Mata Viva, que defende o desmatamento zero na APA do Tarumã. O detalhe é que a própria prefeitura concedeu licença para que a floresta fosse desmatada dentro da legalidade, mesmo sendo uma APA.

O presidente da ONG, Jó Farah, critica a autorização concedida para a derrubada da grande área de floresta. Moradores que passam diariamente pelo local afirmam que a ação foi rápida e que, em poucos dias, imensas árvores foram derrubadas. “É mais uma área de preservação sendo destruída. Por isso deve-se ser investigado por que foi autorizado o desmatamento”, disse.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) informou, na quinta-feira (06), que o responsável pela obra tem o licenciamento ambiental concedido pelo órgão. Entretanto, a secretaria justificou que a APA tem como objetivo disciplinar o uso do solo e não proíbe ocupação. Segundo a Semmas, a APA disciplina com intervenções e  compensações estabelecidas. As medidas são para reduzir o impacto ambiental. O órgão informou, ainda, que empreendimentos imobiliários podem se instalar desde que licenciados e dentro dos padrões.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).