Publicidade
Cotidiano
Notícias

Dia Nacional de Combate ao Fumo: Vício do cigarro diminui 58% em Manaus

A Secretaria de Saúde do Município comemora o percentual de 18 pontos acima do que preconiza o Ministério da Saúde. Mais de 600 mil pessoas deram entrada em ambulatórios para tratamento de fumantes. 29/08/2012 às 15:14
Show 1
Alunos e professores compareceram ao evento, que teve como momento principal a premiação dos vencedores do 3o Concurso Sobre Tabagismo nas Escolas Públicas Municipais.
acritica.com Manaus

No "Dia Nacional de Combate ao Fumo", a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon) e a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) têm muito o que comemorar, já que, segundo dados municipais, o índice de pessoas que abandonaram o vício do cigarro, em 2011, foi de 58%, 18 pontos percentuais acima do que preconiza o Ministério da Saúde.  Deram entrada nos 13 ambulatórios para tratamento de fumantes da Semsa espalhados por toda as zonas da cidade, 600 pessoas. A expectativa é que o atendimento atinja, este ano, mais de mil dependentes.

Os dados foram divulgados na manhã desta quarta-feira (29/08), durante evento alusivo à data, o qual ocorreu no Parque do Mindu, Parque 10, Zona Centro-Sul de Manaus, com a participação de representantes das Secretarias Municipal e Estadual de Educação (Semed e Seduc, respectivamente), além de estudantes de 48 escolas públicas da rede municipal inseridas no Programa Saúde na Escola.

Cerca de 200 alunos e professores compareceram ao evento, que teve como momento principal a premiação dos vencedores do 3o Concurso Sobre Tabagismo nas Escolas Públicas Municipais.

Os três primeiros colocados dos ensinos fundamental e médio receberam como prêmio aparelhos de MP4 e bicicletas doados pela Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc). Eles tiveram que desenvolver em um curto espaço de tempo vídeos educativos e desenhos que ilustrarão campanhas internas das escolas contra o hábito do fumo.

 Câncer

De acordo com a coordenadora de Atenção Oncológica do Amazonas, enfermeira Marília Muniz, o consumo a longo prazo do tabaco pode causar vários tipos de câncer, entre eles o de traqueia, brônquio e pulmão, os quais devem acometer, este ano, no Estado, 280 pessoas, conforme estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Ela alerta, ainda, que as mais de 4,7 mil substâncias tóxicas contidas no cigarro podem levar a doenças cardíacas, além de outros males.

De acordo com a coordenadora, a Fundação Cecon, como responsável por qualificar profissionais que atuam na prevenção do câncer, vem realizando um extenso trabalho nas escolas de Manaus, na tentativa de evitar que crianças e adolescentes caiam nas tentações propostas pela indústria do tabaco.

Palestras diárias sobre os fatores de risco do câncer, por exemplo, fazem parte do calendário do Departamento de Prevenção e Controle do Câncer (DPCC) da FCecon, o qual é coordenado por ela. “Acreditamos que é aí (nas escolas) que vamos conseguir um maior resultado”, ressaltou, referindo-se às crianças.

Marília explicou, ainda, que existe a expectativa de ampliação do trabalho feito pelos ambulatórios, em Manaus, para o interior do Estado, atingindo na totalidade a população do Amazonas.

Crianças e adolescentes

Conforme a coordenadora municipal de combate ao tabagismo, Marlene Lessa de Souza, hoje, os ambulatórios da Semsa vem atendendo, inclusive, adolescentes, os quais iniciaram o hábito muito cedo, influenciados pelos atrativos da indústria do tabaco, tais como aditivos e fragrâncias inseridas no cigarro.

De acordo com ela, abandonar a dependência resulta na melhoria da qualidade de vida do fumante, e reduz, consequentemente, os riscos de doenças cardiovasculares, por exemplo.

Ela explica, ainda, que a partir da realização de campanhas educativas e da conscientização da população, o índice de abandono do cigarro vem aumentando a cada dia na capital, acompanhado da procura pelo tratamento, o que exigiu a ampliação da rede. “Em 2008 tínhamos 43 pessoas atendidas em dois ambulatórios e ano passado foram quase 600 pessoa para os 13 disponíveis na rede”.

O tratamento é norteado por uma equipe multidisciplinar formada por médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, psicólogos e dentistas, e na maioria das vezes exige a realização de terapias comportamentais. Ao final, o paciente recebe acompanhamento por um ano de modo a prevenir recaídas. A medicação, utilizada apenas em casos específicos, também é gratuita e fornecida pelo município.

A coordenadora também ressaltou que, aos interessados em receberem mais informações sobre o Programa de Controle de Combate ao Tabagismo e sobre o funcionamento dos ambulatórios, basta ligar no 0800-2808280.