Publicidade
Cotidiano
Cuidado com a grana!

Dicas para o milionário da Lotofácil de Itacoatiara não torrar todo seu dinheiro

Reportagem pesquisou casos de pessoas que, a exemplo do itacoatiarense, “ganharam boladas" inesperadas de dinheiro e conseguiram fazer a grana “dar frutos” 22/08/2017 às 09:03
Show ferrari430
Montante de R$ 1,6 milhão da aposta vencedora da Lotofácil dá pra comprar uma Ferrari dessa. Mas economista orienta vencedor a investir dinheiro / Divulgação
Paulo André Nunes Manaus (AM)

O Amazonas tem um novo milionário, o apostador que ganhou R$ 1,6 milhão acertando os 15 números da modalidade Lotofácil na semana passada. Ele ficou rico, todos sabemos mas, e agora? Qual a dica que o mesmo pode receber (além da polpuda grana) para não desperdiçar tudo e transformar o que é um sonho em pesadelo e entrar para o depressivo rol dos ex-ricos? A CRÍTICA pesquisou casos de pessoas que, a exemplo do itacoatiarense, “ganharam boladas" inesperadas de dinheiro e conseguiram fazer a grana “dar frutos”, e também falou com  especialistas sobre o que fazer com a fortuna e, de quebra, apurou o que ele pode comprar com a premiação milionária.

Vamos voltar bem no tempo para relembrar do primeiro caso, mais precisamente há 20 anos, quando o sortudo Elizeu Tabosa Fernandes Filho, 63, do Mato Grosso do Sul, ganhou R$ 1 milhão no programa “Gol Show”, apresentado por Silvio Santos, no canal SBT, e antecessor do famoso “Show do Milhão”. O então diretor financeiro do Governo do Mato Grosso do Sul acertou uma improvável bola no ângulo superior direito do goleiro Edinho, o filho de Pelé, sem defesa para o arqueiro, embolsando a bolada, literalmente.

A participação de Elizeu no “Gol Show” foi possível porque seu filho ligou para o Teleton, maratona beneficente de artistas de várias emissoras de TV para ajudar a entidade AACD, e fez uma doação. O pagamento foi feito pelo próprio Silvio Santos, que deu um cheque de R$ 999.999,00 e uma moeda de R$ 1 que é guardada até hoje por Elizeu, ao estilo da moedinha número do quaquilionário personagem dos quadrinhos Tio Patinhas.

Ele, que já tinha uma vida estabilizada, “numa casa grande”, multiplicou sua fortuna em 15 vezes comprando uma fazenda e investindo em gado de raça, o que acabou se traduzindo em várias casas e terrenos. “Silvio Santos está sempre nas minhas orações. Ele e a família toda”, disse ele recentemente ao site Uol.

BBB1 colheu frutos

Muitos se enganaram com Kléber de Paula Pedra, o “Kléber Bambam”, 38, o primeiro vencedor do “Big Brother Brasil” (BBB), da Rede Globo. Em 2 de abril de 2002, quando o então dançarino considerado “bobão” ficou em primeiro lugar com 68% dos votos do público e faturou o prêmio de R$ 500 mil, poucos “pagariam pra ver” que ele se tornaria empresário de eventos, investidor da bolsa de valores e dono de oito casas, lotes em condomínios e galpões na cidade de Campinas (SP), sua cidade natal. Em 2014 sua fortuna foi avaliada em R$ 5 milhões.

“Acordo meio dia há dez anos. O que mais mudou depois do ‘BBB’ foi poder ter meus carros, viajar, curtir, só tenho a agradecer”, comentou o modelo fitness, em entrevista de 2014.

Economista orienta felizardo a não extrapolar e investir montante

O economista com mestrado em finanças, Fábio Calderaro, orienta o ganhador da Lotofácil de Itacoatiara a refletir com calma sobre o que vai fazer com o prêmio de R$ 1,6 milhão. Primeiramente, se continuar morando na mesma cidade, “será que adianta comprar um carro de luxo?”, questiona ele.

O que o novo milionário precisa fazer, diz o especialista, é melhorar seu padrão de vida dentro do que a cidade interiorana exige, mas não se transformar no “Rei de Itacoatiara”.

Orientação primordial para que o ganhador não “torre” seu dinheiro: investir. “Há as apostas e jogos de azar que fazem as pessoas ficarem pobres muito rápido e, também, porque não investem em seu dinheiro. Tem que melhorar as condições da família e é importante preservar seu patrimônio. Manter R$ 1,6 milhão no Brasil não é fácil”, comenta ele.

O investimento pode ser feito em diversos bancos e instituições financeiras. Outra alternativa para multiplicar o valor é através de títulos públicos do Governo Federal, que garantem 100% do dinheiro e rendimento bem maior que a caderneta de poupança. Um exemplo é o título público NTN B (Notas do Tespouro Nacional Série B), que possui taxas acima da inflação. Outra opção, diz Fábio Calderaro, é investir em um negócio para fomentar a economia na região, para girar a economia local”.

 “Aumente, sim, seu padrão de vida, escolha morar em Manaus ou permanecer em Itacoatiara, mas não extrapole seu dinheiro, pense na família. Muitos não se  preocupam com  o futuro”, finaliza o economista.

Dinheiro dá pra comprar 54 carros populares, 4 imóveis, Ferrari...

Para efeito de mensurar o volume de prêmios como o que o itacoatiarense misterioso tem direito a receber, a Caixa Econômica faz comparativos com imóveis e carros populares. No caso do prêmio em questão, o ganhador poderá adquirir, com o valor integral dos R$ 1,6 milhão, cerca de 54 carros populares ou 4 imóveis no valor de R$350 mil.

Agora, caso prefira aplicar todo o valor na Poupança da Caixa, receberá mensalmente o valor de R$ 9,2 mil em rendimentos, orienta a instituição financeira.

A CRÍTICA apurou que o valor da premiação é semelhante ao aprovado pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal para o orçamento de 2018 da força-tarefa da Operação Lava Jato de Curitiba (o valor é mais que o tripo da previsão inicial de R$ 500 mil.

Uma Ferrari, o sonho de muitos motoristas apaixonados por carros, custa em torno de R$ 1 milhão e 600 mil se o modelo pretendido pelo abastado milionário for o 430.

Se quiser, o novo milionário pode fazer o que fez o empresário James Goldstein, chamado nos Estados Unidos de “superfã da NBA”, o basquete norte-americano. Ele conta ter gastado aproximadamente US$ 500 mil (o equivalente ao prêmio de R$ 1,6 milhão) comprando ingressos para ver os jogos do que é considerado o melhor basquete do mundo nos últimos 40 anos. Só de finais ele esteve em 25 seguidas.

Caixa não tem manual para orientar ganhadores

A Caixa Econômica Federal (CEF) não possui manual ou material de orientação para ganhadores de loterias, segundo sua assessoria de comunicação regional para Cuiabá, Manaus e Macapá.