Publicidade
Cotidiano
após saída de Braga

Dilma nomeia secretário de Petróleo como novo ministro de Minas e Energia

A saída de Braga, anunciada na última quarta-feira, aumentou o desfalque na Esplanada dos Ministérios no momento de tramitação no Senado do pedido de abertura de processo de impeachment contra Dilma 22/04/2016 às 10:47
Show marco
Dilma nomeia Marco Antônio Martins Almeida para a pasta de Minas e Energia (Foto: Reprodução/Internet)
Com informações de agências

A presidente Dilma Rousseff nomeou Marco Antônio Martins Almeida, secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis, como novo ministro de Minas e Energia, após Eduardo Braga entregar o cargo, segundo publicação no Diário Oficial da União desta sexta-feira (22).

A saída de Braga, anunciada na última quarta-feira, aumentou o desfalque na Esplanada dos Ministérios no momento de tramitação no Senado do pedido de abertura de processo de impeachment contra Dilma.

Braga, senador do PMDB pelo Amazonas, afirmou ainda a jornalistas que estará de licença médica por alguns dias e que sua suplente e esposa, Sandra Braga, deverá representá-lo na votação sobre a admissibilidade do processo de impeachment de Dilma no Senado.

O Diário Oficial da União também traz nesta sexta-feira a nomeação de Maurício Muniz Barretto de Carvalho, secretário do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para exercer o cargo de ministro da Secretaria de Portos. Carvalho substitui Helder Barbalho, também do PMDB, que confirmou sua saída da Secretaria de Portos na quarta-feira.

Também foram publicadas no Diário Oficial da União as nomeações de Inês da Silva Magalhães para o Ministério das Cidades, no lugar de Gilberto Kassab (PSD), e de Alessandro Golombiewski Teixeira para o Ministério do Turismo, no lugar de Henrique Eduardo Alves (PMDB).

Na semana passada, deixaram o Executivo os ministros da Aviação Civil, Mauro Lopes, e da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, ambos do PMDB. No momento, dos sete integrantes da legenda nomeados ministros, apenas dois permanecem nos cargos: Marcelo Castro, na Saúde, e Kátia Abreu, na Agricultura.

Ainda na edição desta sexta-feira, Dilma torna sem efeito a nomeação de Marcos Antonio Baumgärtner para a o cargo de diretor administrativo da Itaipu Binacional, assim Edésio Franco Passos fica no cargo, pois teve exoneração também sem efeito.

Interinos

Com as recentes saídas de ministros do PMDB e de outros partidos, o governo tem cinco ministros interinos: da Casa Civil, da Integração Nacional, do Esporte, da Secretaria de Aviação Civil, da Ciência, Tecnologia e Inovação.

No fim de março, o Diretório Nacional do PMDB decidiu deixar a base aliada do governo Dilma. A decisão foi anunciada pelo senador Romero Jucá (RR), substituto de Michel Temer, vice-presidente da República, na liderança nacional da legenda.