Publicidade
Cotidiano
NEGÓCIOS

Como renegociar dívidas com a Serasa e ainda aproveitar o Feirão Limpa Nome

Empresas como Itaú, Bradesco, Santander, Net, Claro, Vivo e Tim estão abertas para tratar dívidas em atraso com descontos e condições facilitadas 12/11/2017 às 08:00
Show lmlm
Participam do Feirão Limpa Nome Online e Hipercard, Bradesco, Banco Santander, Net, Porto Seguro Cartões e outros (Foto: Divulgação)
Rebeca Mota Manaus (AM)

A Serasa está promovendo mais uma edição do Feirão Limpa Nome online que começou na última segunda-feira (6) e vai até o dia 30 de novembro. As empresas estão abertas para negociar as dívidas em atraso com descontos e condições facilitadas. E especialistas em educação financeira orientam como os consumidores devem proceder para quitar as dívidas. 

Participam do Feirão Limpa Nome Online empresas e instituições financeiras como Itaú, Hipercard, Bradesco, Banco Santander, Net, Porto Seguro Cartões, LuizaCred, Claro, Banco Fiat, Vivo e Tim.

Os interessados precisam preencher um cadastro gratuito no site da Serasa. Depois, o consumidor será direcionado a uma página onde estarão listadas todas as suas dívidas que constam na base de dados da empresa de crédito.

Cada empresa participante irá informar os canais de atendimento disponíveis (telefones, e-mail ou chat) para a renegociação. Em alguns casos, o credor já deixará um boleto disponível com a proposta. Cabe ao consumidor aceitar e realizar o pagamento ou, se preferir, entrar em contato com a empresa para negociar a proposta.

Famílias endividadas
A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que o percentual de famílias endividadas alcançou 58,4% em setembro de 2017, uma alta de 0,4 ponto percentual na comparação com agosto. Em relação a setembro de 2016, quando o indicador alcançava 58,2% do total de famílias, também houve alta. 

“Mesmo com o nível de endividamento ainda moderado, abaixo da média histórica, os indicadores de inadimplência da pesquisa permanecem elevados. A taxa de desemprego bastante alta ajuda a explicar a maior dificuldade das famílias em pagar suas contas em dia e o maior pessimismo em relação à capacidade de pagamento”, pontua Marianne Hanson, economista da CNC.

O educador Financeiro da DSOP, Reinaldo Domingos, orienta que antes de negociar as dívidas é necessário anotar todas as contas que possui e destacar as de produtos e serviços essenciais e as de maior incidência de juros. 

“Esses pagamentos devem ser prioridade. Faça um diagnóstico financeiro, ou seja, saiba exatamente quais são seus ganhos e gastos mensais, elimine despesas supérfluas ou desnecessárias e vá para a negociação apenas quando souber o quanto terá disponível mensalmente para pagar, mas caso tiver reservas financeiras para quitar as dívidas, negocie para obter bons descontos. Se não conseguir, poupe mensalmente e também as rendas extras, como o 13º salário, para voltar a negociar em um futuro próximo”, enfatiza.