Publicidade
Cotidiano
QUALIDADE

Economia sustentável ganha força com aproximação de produtores e clientes

Empresários criam negócios sociais para o mercado de alimentação e incentivam produtores 21/04/2018 às 17:07 - Atualizado em 22/04/2018 às 07:03
Show nakau
A fábrica de chocolate da Amazônia, a Nakau, também está preocupada com a conservação do meio ambiente, desenvolvimento regional e incentiva e reconhece os produtores. (Foto: Arquivo pessoal/ Nakau)
Rebeca Mota Manaus (AM)

A alta demanda  por produtos e serviços feitos de forma social, ambiental e politicamente correta propiciou o surgimento de um novo mercado: negócios sustentáveis e ecológicos que ajudam a desenvolver a cadeia comercial de produtores agrícolas locais. 

Exemplo disso é a Onisafra, um site onde agricultores comercializam sua produção de vegetais produzem diretamente com os clientes, sem atravessadores, que tem como fundador da startup, o Macaulay Souza.  No site são realizados 50 pedidos no mês. 

Hoje, 16 agricultores familiares vendem a produção na Onisafra. “Esse mercado de consumo consciente ainda é algo muito incipiente na cidade. Apesar de Manaus ser um dos maiores centro de distribuidores da região Norte, nós ainda temos consumidores que ainda estão se conscientizando sobre a importância de consumo solidário, economia justa e de valorização da agricultura local”, diz Macaulay. 

Segundo Souza, uma das maiores entraves dos produtores é falta de informação e acesso ao mercado. “Quando aproximamos os agricultores dos consumidores, os agricultores começam a ter uma noção maior da demanda de mercado e isso faz que eles diversifiquem sua  produção fazendo com que práticas mais sustentáveis sejam aderidas na sua produção”, diz.

Outro negócio parecido é a Cesta Verde da proprietária Lilia Assunção que conta que o micronegócio surgiu de uma produção orgânica familiar junto com a rede Humaniza. 

“O nosso diferencial é que o consumidor não paga pela a embalagem, todo o alimento é orgânico, livre de agrotóxicos e existe uma relação de confiança do produtor com o consumidor”, diz. 

Existem dois tipos de cestas a padrão no valor de R$ 200 com até 12 itens e a mini que custa R$ 110. Em média, a Cesta Verde recebe por semana 35 encomendas.

“Nosso negócio vai fazer três anos em junho. Este mercado aqui em Manaus é promissor. Acreditamos que o projeto é sustentável. Temos um cuidado de alinhar a demanda do mercado com a capacidade da horta. E apoiamos um agricultor. Em breve vamos lançar um delivery”, diz. 

A fábrica de chocolate da Amazônia, a Nakau, também está preocupada com a conservação do meio ambiente, desenvolvimento regional e incentiva e reconhece os produtores. O proprietário e biólogo Artur Coimbra produz os chocolates através da amêndoa do chocolate.

Observando as necessidades dos produtores ele constatou que todo o Cacau produzido no Amazonas era vendido muito à baixo do preço do mercado Nacional. E com a intenção de valorizar os produtores ele compra o cacau três vezes mais caro do que é vendido. 

“O preço do cacau depende da região e da qualidade do fruto. Mas é vendido em média R$ 4 a 5 o quilo. E nós compramos de R$ 12 a 16. Acreditamos que pagando mais caro estamos incentivamos o produtor rural e valorizamos o nosso produto. E ainda colocamos  a foto do produtor rural. Isso aumenta a autoestima dele e envolve eles com o consumidor”, ressalta.

Os chocolates são vendidos em países como Japão e Estados Unidos e ainda para sete estados do Brasil. Os preços variam de R$ 11 a 18.  

Feiras


Em Manaus são realizadas feiras de produtos orgânicos como a do Incra, da Ufam e a da Apoam-Mapa que são vendidos verduras, frutas e legumes de mais de 150 famílias.  “A vantagem é de comprar os produtos direto com o consumidor. Essas feiras precisam de mais divulgação. Em média movimenta R$ 4 mil  e R$ 400 a 450 por feirante”, diz uma das organizadoras da feira do Incra, Acácia Neves.

Seminário de Agricultura Familiar
 Para fortalecer a comercialização dos produtos da agricultura familiar no Amazonas, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em parceria com o movimento Slow Food, realizarão um seminário nos dias 02 e 03 de maio, das 8h30 às 18h, no Auditório Sumaúma da Faculdade de Ciências Agrárias da Ufam.

 

Serviço

Cesta Verde 
 Venda de alimentos livres de agrotóxicos

Contato:
cestaverdedonawalda@gmail.com

Onisafra
  Venda de alimentos livres de agrotóxicos por meio de site. 

Endereço
www.onisafra.com

Nakau
 Chocolates amazônicos  

onde
 Vários pontos em Manaus
 

Publicidade
Publicidade