Publicidade
Cotidiano
Notícias

É preciso cautela ao pegar a estrada; confira dicas para uma viagem segura

Com poucas vias, as estradas da região amazônica merecem atenção dobrada 07/01/2012 às 11:42
Show 1
Segundo estatísticas da Polícia Rodoviária Federal do Amazonas, a maioria dos acidentes é resultado da falta de cautela dos condutores
Felipe de Paula ---

Se dentro da cidade o trânsito já não é dos melhores, na estrada - e ainda mais em período de chuva - todo cuidado é pouco. Parece óbvio dizer tudo isso, porém, ainda é necessário lembrar que os acidentes nas rodovias são responsáveis por um alarmante número de tragédias que, na maioria das vezes, poderiam ter sido evitadas. Por isso, a reportagem de A CRÍTICA conversou com especialistas e preparou um resumo de tudo que você precisa saber para ter uma viagem segura com a família e os amigos.

Itens de segurança


Para o chefe da oficina mecânica Casa do Motorista, oficina-membro da ASSEAM, Henrique Castro, o mais importante na hora de pegar a estrada são os itens de segurança. “O sistema de freios (pastilha de freios e lona traseira), os níveis dos fluidos, a iluminação do veículo e a calibragem dos pneus são fundamentais”, alerta o profissional, destacando também a necessidade de verificar o limpador de para-brisa e a trava do cinto de segurança, o que o próprio condutor pode fazer. Segundo ele, entre as maiores negligências dos condutores estão relacionadas aos pneus. “As pessoas viajam com pneu careca. Isso é um perigo, pois o risco de acidentes é muito grande”, alerta Henrique, também para a vida útil dos pneumáticos. “O pneu tem um gomo sobre a borracha. Quando esse gomo está da altura do pneu, é necessário fazer a troca”.

E o estepe?

O mecânico autônomo Geraldo Pereira também alerta para a necessidade de calibrar os pneus e lembra um detalhe que muitas vezes passa despercebido. “Muita gente calibra os pneus e esquece de calibrar o estepe. Mas ele é de máxima importância, por isso, além de estar devidamente calibrado, tem que estar em ótimo estado, caso precise ser acionado”, destaca. Segundo o profissional, a revisão do automóvel deve ser feita a cada 15 mil quilômetros, mas esse limite pode reduzir dependendo de como o motorista costuma dirigir. “Se a pessoa usa muito ou força demais o carro, esse tempo reduz bastante”. Para ele, é imprescindível que, mesmo estando com a revisão em dia, o motorista leve o carro a sua oficina de confiança. “É bom acompanhar a revisão e cobrar pela checagem de todos os itens”, ressalta.

Cuidado


na estrada Segundo o instrutor de autoescola Ozires Nobre, na hora de pegar a estrada é preciso ter cautela redobrada. “O motorista deve manter sempre as duas mãos no volante e observar todos os lados do automóvel, sempre atento à sinalização”, indica. Segundo ele, um erro recorrente dos motoristas que dirigem pelas estradas da região é estar sempre “colado” na traseira do carro à frente.

Não dirigir sobre o efeito de álcool e nem de forte cansaço também é uma boa dica do instrutor para as viagens, assim como evitar o confuso pisca-alerta na chuva. “As pessoas ligam o pisca-alerta na chuva, mas isso só prejudica o entendimento dos sinais”, ressalta. Ozires Nobre lembra ainda sobre o cuidado de não deixar as malas em local perigoso, pois caso haja freada forte, a bagagem pode machucar os passageiros. Quanto aos dias de chuva, a dica é diminuir a velocidade, principalmente perto de poças de água, ligar os faróis e redobrar os cuidados, dentre eles nunca ultrapassar desrespeitando a sinalização e jamais passar da velocidade permitida.