Publicidade
Cotidiano
Notícias

Eleitores criticam o TRE-AM

Serviço de atendimento público do órgão gera reclamações. Um grande número de pessoas tem procurado o tribunal 11/01/2012 às 11:33
Show 1
Fila de eleitores, na manhã, dessa terça-feira (10), se estendeu pelo entorno da sede do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas
MOARA CABRAL Manaus

Pelo menos 400 pessoas buscaram na manhã dessa terça-feira (10), atendimento na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) e muitas delas saíram do local muito irritadas porque não tiveram acesso à senha.

As razões para essa aglomeração de eleitores eram diversas: obter a 1ª e a 2ª vias do Título de Eleitor, transferência de Zona Eleitoral e de domicílio eleitoral, regularização da situação eleitoral, entre outras.

Uma placa afixada na porta de entrada do prédio do TRE-AM, informa que o atendimento é de 7h às 11h este mês (janeiro). E é por conta do horário mais apertado que muitos estão voltando para casa sem conseguir resolver suas pendências.

A dona de casa, Maria do Socorro Gama, 62, e a neta dela, Renata Alves, 18, moradoras da Cidade Nova 5, Zona Norte, não conseguiram ser atendidas ontem, apesar de afirmarem ter chegado ao local às 7h.

“Eles não informam direito, não falaram nada de prioridade. Só estamos aqui porque não queremos pagar multa, mas é um absurdo”, reclamou Renata. Mary Suzi, 46, também dona de casa, disse que tinham sido distribuídas 300 senhas e que se até às 10h o atendimento não tivesse sido feito para esse grupo de pessoas mais 150 senhas seriam distribuídas.

“Mas, só entregam cem”, disse ela. “Eles sabem que tem muita gente então deveriam distribuir mais senhas e trabalhar melhor, mas chegam às 7h e antes das 11h já encerram as atividades”, criticou. Brenda Silva, 18, e Beatriz Gomes, 19, moradoras dos bairros Novo Israel 3 e Monte das Oliveiras, respectivamente, disseram que precisaram pegar três ônibus para chegar à sede do TRE-AM.

Brenda estava no local porque precisava tirar a 1ª via do Título de Eleitor, para apresentar à empresa onde trabalha. Ela estava revoltada, reclamou da obrigatoriedade do voto e defendeu mudança na legislação eleitoral.

“O voto tem que ser livre, como nos Estados Unidos. Que democracia é essa que o voto tem que ser obrigatório? E ainda temos que enfrentar tudo isso aqui (a fila e a demora no atendimento) para tirar o título. Praticamente somos obrigados a dormir no local”, protestou a jovem que vai votar pela primeira vez.

A assessoria de imprensa do TRE-AM informou que, no mês de janeiro, o órgão funcionará em horário especial (o de 7h às 11h) e, a partir de fevereiro, voltará o horário normal (de 7h às 13h).

De acordo com assessoria, o motivo para a formação de filas está ligado ao plebiscito sobre a divisão do Estado do Pará cujo prazo final para os eleitores que não votaram se justificar é 9 de fevereiro. Também porque as pessoas que têm viagens planejadas para o exterior precisam ter o Título de Eleitor regularizado.