Publicidade
Cotidiano
Notícias

Eletrobras Amazonas Energia faz “limpeza” em rede clandestina na Compensa

De acordo com a empresa, pelo menos 100 ramais de ligações foram desativados, o que significa dizer que o volume de casas que possuíam ligações clandestinas passava desse número. 02/12/2012 às 19:51
Show 1
Funcionários desativam ligações elétricas clandestinas, os chamados 'gatos'
acritica.com Manaus (AM)

Em uma ação conjunta com a Polícia Militar, equipes da Eletrobras Amazonas Energia fizeram uma “limpeza” nas redes de baixa tensão no beco Manaus, na rua Manaus, no bairro da Compensa II, onde havia um grande volume de redes clandestinas. A ação contou com várias equipes e aconteceu na última sexta-feira (30).

O beco Manaus, na rua Manaus é conhecido pelo alto número de curtos-circuitos em decorrência do volume de ligações clandestinas. Só para se ter uma ideia da situação, a empresa necessitou desligar o transformador que atende a área, devido ao grande volume de fios e emaranhado de condutores que ocasionavam problemas de queda de energia e curtos-circuitos, para que o serviço fosse executado.

De acordo com relatos dos próprios moradores, assim que as equipes da fiscalização saíam do local, imediatamente, as ligações clandestinas voltavam para a rede de distribuição de energia elétrica.

Na semana passada, alguns dos moradores, se sentindo prejudicados pela alta queima de eletrodomésticos provocadas pelas ligações irregulares e temendo por sua segurança, ameaçaram fazer barricadas caso os “gatos” não fossem retirados.

Em um mutirão, envolvendo vários departamentos da empresa e com o apoio fundamental da Polícia Militar, o beco Manaus foi atendido. A Eletrobras Amazonas Energia retirou todos os “clandestinos” e já trabalha com o planejamento de uma nova rede com cabos isolados e com a regularização dos consumidores que estão em situação irregular naquela área.

A concessionária tem atuado, constantemente, no sentido de reduzir drasticamente o seu índice de perdas de energia – 30% – considerado o maior do país. Em 2012, até o mês de outubro, esse volume já caiu em 2,4 %.