Publicidade
Cotidiano
Notícias

Em Manaus, infrações de trânsito somam cerca de 3,2 mil multas entre março e junho de 2014

Notificações de autuações, referentes aos meses de março a junho de 2014, foram publicadas no Diário Oficial e têm 30 dias para recurso 19/06/2014 às 11:15
Show 1
As notificações somaram mais de 3,2 mil em um período de quatro meses
Rosiene Carvalho Manaus (AM)

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Imtrans) publicou, no Diário Oficial do Município (DOM) de segunda-feira, 3.246 notificações de multas de trânsito com prazos de 15 e 30 dias para recurso por parte dos proprietários dos veículos a contar da publicação das penalidades.

As multas com o nome dos proprietários dos veículos flagrados em infração de trânsito entre os meses de março e junho deste ano estão nas páginas de 34 a 50 do DOM. e acordo com a publicação, em 1.445 notificações é possível apresentar recurso ao Manaustrans ou Detran-AM num prazo de 15 dias.

Para isso, é necessário preencher um formulário disponibilizado pelos dois órgãos de trânsito, além de cópias do comprovante de residência, CNH ou Permissão de Dirigir. No caso de pessoas jurídicas, é necessário apresentar o contrato e os documentos da locadora do veículo.

As demais notificações contam com um prazo mais largo de recurso, 30 dias após a publicação. As multas que se enquadram neste grupo são referentes a recursos que devem ser encaminhados ao JARI do Manaustrans. Para esse recurso, é necessário apresentar cópias da CNH (ou permissão para dirigir) e o CRLV - documento do veículo. Para o caso de pessoas jurídicas, é necessário apresentar o contrato com a empresa.

O Manaustrans informa ainda, nas publicações, que para as multas em grau de recurso no Jari é possível, caso o pagamento da multa seja efetuado no prazo de 30 dias a contar da publicação, um desconto de 20% no valor.

Qualquer recurso levado ao Jari é preciso primeiro que o proprietário ou condutor do veículo (a quem as penalidades da infração seram imputadas) pague a multa. Caso seja absolvido no Jari, terá o dinheiro devolvido. Após o Jari, ainda há a segunda instância para recurso que é o Cetran-AM, conselho que fica no próprio Estado onde a multa foi aplicada.