Publicidade
Cotidiano
TECNOLOGIA

Embrapa lança aplicativo para ajudar agricultores na adubação do solo

App para celulares com sistema Android auxilia o processo de recomendação de adubação e calagem (adubo com calcário) do solo para as culturas de abacaxi, banana, citros e mandioca no Amazonas 18/04/2018 às 17:22
Show nutrisolo
Foto: Euzivaldo Queiroz
Nelson Brilhante* Manaus (AM)

Ao contrário da velha máxima de que “em se plantando, tudo dá”, depende muito da qualidade do solo e do que fazer para melhorá-lo. Pensando nisso a Embrapa Amazônia Ocidental lançou nessa terça-feira (17) o Nutrisolo, aplicativo móvel para celulares com o sistema operacional Android que auxilia o processo de recomendação de adubação e calagem do solo para as culturas de abacaxi, banana, citros e mandioca no Amazonas. A novidade tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam) e do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado (Idam).

Antes de plantar, o agricultor tem que fazer uma análise do solo para saber se está adequado e com qualidade para receber o plantio da cultura desejada. Esse exame é feito na Embrapa, onde técnicos decifram os resultados e orientam o produtor a utilizar o aplicativo Nutrisolo. A partir daí, ele vai saber a quantidade de produtos que terá que ser utilizado, bem como monitorar sua produção.

Segundo Marcos Salame, analista de sistemas da Embrapa, “o aplicativo orienta a adubação e calagem (efeito de adubar a terra com calcário, ou mistura de cal com outras substâncias para corrigir a acidez do solo) para o plantio de abacaxi, banana, mandioca e citros”. Caso a experiência dê certo, a Embrapa pretende ampliar o número de culturas.

Marcos Salame adiantou que, para elaborar o aplicativo, foram feitos vários levantamentos bibliográficos e publicações de pesquisadores para chegar a um consenso de quais nutrientes são mais adequados para corrigir as deficiências do solo amazônico.

De acordo com o clima, com a temperatura e o tipo de terra, o aplicativo faz uma recomendação mais precisa sobre o solo pesquisado. O “parceiro” é fruto do trabalho de três anos de uma equipe multidisciplinar, envolvendo alunos de graduação e profissionais de várias áreas ligadas ao assunto.

“Para ter acesso, o produtor só precisa de Internet para baixar o aplicativo. Depois ele pode ser usado tranquilamente em áreas rurais que não tenham acesso à Internet. São apenas dois megabytes de espaço de armazenamento e o poder de processamento é mínimo. Por isso, pode ser baixado em celulares bem antigos”, esclareceu Marcos Salame. “Muitos agricultores usam adubos em excesso, ou nem usam nutrientes adequados. Então, o aplicativo chega para dar um norte, orientar sobre o que é mais adequado”, concluiu.

A maioria das hortaliças e verduras é trazida de outras regiões por falta de financiamento, de orientação aos produtores e dificuldades para o escoamento da produção. A Embrapa tem mais de 500 produtores cadastrados, que consultam regularmente a entidade em busca de informações.

Análise preliminar

Antes de baixar o aplicativo (baixe aqui), o produtor precisa colher uma amostra do solo de sua propriedade e levar ao Embrapa. Lá, a terra é analisada e as condições são cadastradas para que possam ser monitoradas, via aplicativo, que já está disponível no Google Play.

Auxílio nos cálculos e dosagens

O chefe adjunto de Transferência e Tecnologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) na Amazônia Ocidental, Marcos Garcia, disse que o aplicativo é uma ferramenta que chega em boa hora para facilitar os cálculos e dosagens de adubos.

Na verdade, esses cálculos já são feitos, mas de outra forma. O diferencial é que essas ferramentas, agora, estão no aplicativo. “Isso gera economia para o agricultor por evitar uso excessivo de fertilizantes, por exemplo. Era comum o produtor fazer uma análise e ter dificuldade de interpretar. Com o aplicativo, o técnico não precisa mais ir até a propriedade. Ele pode, de onde estiver, orientar o produtor”, garantiu o pesquisador Marcos Garcia.

Feito sob medida para a Amazônia

O aplicativo NutriSolo passa a ser uma referência tecnológica da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) em toda a região Norte. Ele será indicado pela instituição como sendo uma base de apoio digital para as atividades de campo relacionadas ao solo, mais diretamente em tudo que for associado à calagem e adubação das terras do bioma amazônico, que possam servir de plantio para as culturas de abacaxi, citrus, mandioca e banana.

Colabora para a indicação do aplicativo projetado por pesquisadores da Embrapa, o fato de ser uma tecnologia nacional e que está formatada, a partir das características do solo amazônico, onde a acidez é uma das principais assimetrias a ser corrigida; mas também pela experiência da Embrapa Ocidental em toda a cadeia produtiva com as características da região.

Em um momento em que há cortes nas áreas de pesquisa do Brasil, como no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), a Fapeam se apresenta como vanguarda no financiamento de tecnologias voltadas, diretamente, para o uso na agricultura local, onde atuam  mais de 275 mil produtores rurais no Amazonas.

“É este tipo de tecnologia pragmática que precisamos, porque vamos entrar em um novo momento da história do setor primário, depois que foi aprovado o Projeto de Emenda Constitucional que eleva de 0,69% para 3% o orçamento do Amazonas para o setor primário”, disse o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), Muni Lourenço, que na condição de vice-presidente da CNA, vai defender o aplicativo junto ao presidente da instituição João Martins, em Brasília.

*Com colaboração de Antônio Ximenes.

Publicidade
Publicidade