Publicidade
Cotidiano
VACINAÇÃO

Especialista orienta sobre vacinação contra a Febre Amarela

O medo da doença vem provocando uma ‘corrida’ aos postos de vacinação, uma vez que a vacina é a principal forma de prevenção 08/02/2017 às 11:03
Show 273249
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
acritica.com

Os casos de febre amarela registrados em Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo têm deixado a população do País em alerta. O Brasil vive o maior surto da doença desde 1980. Na última semana, a Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu um comunicado sobre o risco de a doença se espalhar pela América do Sul, começando por países vizinhos, como a Venezuela.

O medo da doença vem provocando uma “corrida” aos postos de vacinação, uma vez que a vacina é a principal forma de prevenção, mas a infectologista da Unimed Manaus Eda Chagas alerta que somente as pessoas ainda não imunizadas que moram ou vão se deslocar para áreas de risco devem se vacinar.

Eda Chagas orienta as pessoas que já receberam uma dose da vacina a se imunizar novamente 10 anos após a data da aplicação. Já as que já receberam duas doses, a recomendação do Ministério da Saúde é de que não precisam mais repetir a vacina ao longo da vida. De acordo com a médica, a vacina começa a proteger a partir do décimo dia após a imunização, ou seja, quem pretende viajar para áreas de risco deve procurar um posto de saúde com antecedência. A vacina para febre amarela é contraindicada para crianças menores de seis meses, gestantes, pessoas que tenham alergia a ovo de galinha e seus derivados e pacientes com HIV com imunidade comprometida e câncer em estágio avançado.

A especialista diz que não há nenhum tratamento específico contra a febre amarela. “O médico trata os sintomas, como as dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos”, disse ela.

Conforme Eda Chagas, apesar de não haver registro de febre amarela urbana é preciso combater o mosquito transmissor,Aedes aegypti. “É dessa forma que a população vai se manter protegida contra essa doença e todas as outras que são transmitidas por esse mosquito”, alertou.

Urbana e silvestre

A infectologista explica que a febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus chamado Flavivírus. A doença apresenta-se sob duas formas: a febre amarela urbana, transmitida pelo Aedes aegypti, assim como dengue, Chikungunya e Zika; e a febre amarela silvestre, disseminada pelos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, que vivem em áreas de floresta.