Publicidade
Cotidiano
Notícias

Estelionatário que vende smartphones e eletroeletrônicos faz vítimas em Manaus

Três pessoas registraram um Boletim de Ocorrência (B.O) contra um suposto funcionário de um hipermercado de Manaus, que dizia vender aparelhos com preços inferiores a R$ 200 10/08/2012 às 22:39
Show 1
Smartphone é um desejo de consumo
Bruno Strahm Manaus

O desejo de ter um smartphone ou TV por um preço mais barato levou pelo menos três pessoas a serem vítimas de um suposto estelionatário só nesta semana, em Manaus. O homem identificado como Michael Freitas, assegurou às mesmas que conseguia aparelhos eletrônicos por um valor muito abaixo do oferecido no mercado. Ele convenceu as vítimas em conversas pelo Facebook e telefone.

No perfil pessoal do suposto “vendedor” há postagens de uma quarta possível vítima, que negociou a compra e fez reclamações por meio da rede social.  

Nesta sexta-feira (10), as três vítimas fizeram um Boletim de Ocorrência (B.O) no 16º Departamento Integrado de Polícia (DIP) para registrar o ocorrido e aguardam a investigação da polícia.

As vítimas falaram com a reportagem do Portal acrítica.com na condição de terem suas identidades preservadas.

O professor de informática P.A. disse que conhecia Freitas havia algum tempo, o primeiro contato deles foi em uma lan house no bairro Educandos, Zona Sul de Manaus, desde então nunca mais se viram pessoalmente, só mantinham contato pela internet.

Aparelhos por menos de R$ 200

“Ontem ele puxou assunto comigo num bate-papo, disse que estava trabalhando em um hipermercado da avenida Paraíba, na venda de eletroeletrônicos. Depois veio perguntar para mim se eu não estava interessado em comprar um smartphone Galaxy por R$ 100. Fiquei um pouco desconfiado, mas ele acabou me convencendo. Falei com uma amiga minha que também se interessou pela oferta”, comentou.

A amiga de P.A. é a também professora de informática E.N. Ele disse ter confiado na palavra de Freitas, e que por isso avisou sobre a venda a uma amiga sua, T.R., funcionária de uma fábrica no Distrito Industrial, interessada em comprar uma TV de LCD. O suposto estelionatário disse que conseguiria o aparelho por R$ 190.

“Ele contou que estava na época de balanço do caixa, e que por isso, seria mais fácil conseguir os aparelhos sem ninguém de lá saber. Só precisávamos colocar o nosso nome em um envelope com o dinheiro do pagamento dentro e entregar para ele”, disse E.N. .

O golpe

Michael Freitas avisou que precisava de uma carona, e por isso, as vítimas foram buscá-lo em uma lan house no centro de Manaus. De lá seguiram para o hipermercado onde ele supostamente trabalhava.

“Eu estacionei no subsolo do local, retirei meu dinheiro no caixa eletrônico e entreguei para ele. Michael disse que era para aguardarmos no carro, pois nós chamaríamos a atenção da gerência se entrássemos com ele. Ficamos lá esperando ele voltar, e ele não apareceu”, disse o professor.

Cansados de esperar eles ligaram para o celular oferecido por Michael, mas ele não atendeu mais. Preocupados, subiram até a entrada do hipermercado para procurar por ele, perguntaram aos funcionários que disseram não saber de quem se tratava. Pediram para ver as imagens do circuito interno de segurança e viram que ele foi embora calmamente pela saída de trás do lugar, sem levantar suspeitas.

 

A 4ª suposta vítima

Sem conseguir contatar Freitas por celular, suas vítimas o procuraram em seu perfil do Facebook. Na página há indícios que ele pode ter lesado uma quarta pessoa nesta mesma semana.

Na linha do tempo de Michael Freitas pode-se ler a reclamação de uma mulher sobre um trato não cumprido. De acordo com as vítimas, se trata de uma prima do suposto estelionatário.

A reportagem tentou entrar em contato com Freitas por meio das redes sociais e por celular, mas não obteve sucesso.