Publicidade
Cotidiano
Notícias

Estudo revela queda acumulada de 14,7% na indústria

Resultado se refere ao período de janeiro a agosto, sendo o pior desempenho entre os Estados 07/10/2015 às 19:28
Show 1
Queda na produção de motos impactou negativamente no resultado do segmento de “outros veículos de transporte”
Acritica.com Manaus (AM)

Com a divulgação da produção industrial do mês de agosto, o Amazonas acumulada queda de 14,7% em 2015, apresentando o pior desempenho entre as unidades da Federação. Os dados foram divulgados na última quarta-feira (7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com igual mês do ano anterior, o setor industrial do Amazonas recuou 13,8% no índice mensal de agosto, segunda taxa negativa consecutiva neste tipo de confronto. De acordo com o supervisor de Disseminação de Informações do IBGE/AM, Adjalma Nogueira Jaques, o recuo registrado em agosto intensifica o ritmo de queda observado no primeiro semestre do ano (-14,2%), ambas as comparações contra iguais períodos do ano anterior.

Setores

Oito das dez atividades pesquisadas assinalaram queda na produção em agosto. O setor de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-27,8%) exerceu a influência negativa mais relevante sobre o total da indústria, pressionado, em grande parte, pela menor produção de televisores, computadores pessoais portáteis (laptops, notebooks, handhelds, tablets e semelhantes), telefones celulares, receptor-decodificador de sinais de vídeo codificados, monitores de vídeo e gravador ou reprodutor de sinais de áudio e vídeo (DVD, home theater integrado e semelhantes).

Vale mencionar ainda os recuos vindos de outros equipamentos de transporte (-11,6%) - , pressionados, em grande medida, pela menor fabricação de motocicletas e suas peças, uma vez que o setor vem sofrendo forte impacto da crise econômica. Outros segmentos em queda foram os de impressão e reprodução e gravações (-51,5%), máquinas e equipamentos (-31,9%), de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-7,9%) e de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-40,1%).

Bebidas em alta

Por outro lado, o principal impacto positivo veio do ramo de bebidas (10,1%), impulsionado especialmente pela maior produção de preparações em xarope para elaboração de bebidas para fins industriais. Trata-se de um dos poucos setores do Polo Industrial de Manaus (PIM) que vem apresentando bons resultados, a despeito do cenário geral desfavorável.

Ajuste sazonal

Em agosto, a produção industrial do Amazonas ajustada sazonalmente recuou 2,2% frente ao mês imediatamente anterior, terceira taxa negativa consecutiva neste tipo de confronto, período em que acumulou perda de 5,3%. O índice de média móvel trimestral mostrou queda de 1,8%.