Publicidade
Cotidiano
Notícias

Executivo defende em livro a conciliação estresse e trabalho

Estresse dos trabalhadores é tema de livro lançado pelo executivo André Caldeira, que defende prioridades como família, sono, boa alimentação, exercícios físicos e leitura 25/11/2012 às 17:57
Show 1
Ex-dentista e ex-professor de inglês, Caldeira é agora executivo e autor
Priscila Mesquita ---

Equilibrar vida pessoal e trabalho nunca foi o forte de Joe Labor. Workaholic desde os primeiros anos de carreira, ele já acorda pensando nas atividades da empresa. Mal-humorado, ele se irrita com tudo, vive checando emails no celular e quase não conversa com sua família. A insana rotina desse trabalhador prejudica aos poucos sua saúde, mas ele ignora essa preocupação porque está ocupado demais com os assuntos corporativos.

Joe Labor (ou João Trabalho, em português) foi o personagem criado pelo executivo André Caldeira, que na próxima terça-feira lança o livro “Muito Trabalho, Pouco Stress” (editora Évora) em Curitiba. Depois de atuar em diferentes áreas do mercado e de lançar um blog sobre trabalho e stress no portal Exame.com, Caldeira resolveu criar o personagem para ajudar os leitores a refletir sobre como está o equilíbrio entre carreira e vida pessoal.

“Criei o Joe com o objetivo de gerar identificação nos leitores, porque acredito muito no poder das histórias bem contadas. A vida de Joe reflete o que observei em 20 anos de carreira, nas situações da minha própria vida e na convivência com colegas, clientes e parceiros”, diz André, que é diretor da Proposito (empresa de consultoria estratégica e desenvolvimento humano) e presidente do Lide Paraná – Grupo de Líderes Empresariais.

 A primeira parte do livro detalha a vida do personagem e versa sobre temas como excesso de trabalho, falta de tempo para esposa e filhos, consumo excessivo de bebida alcoólica e vício em tecnologia. No fim dos capítulos iniciais, Caldeira provoca uma reflexão sobre que atitudes de Joe estão presentes no dia a dia de quem está lendo. “Temos 110% de disciplina no trabalho mas não levamos a mesma disciplina para a vida pessoal. As empresas transferem para o funcionário a pressão que estão recebendo, mas temos limites, somos humanos”, pondera.