Publicidade
Cotidiano
Notícias

Expedição que valoriza culturas indígenas da América do Sul virá a Manaus

Com saída prevista para 21 de junho do próximo ano no Chile e chegada em agosto à capital amazonense, a expedição chega à nona edição e terá aproximadamente 150 pessoas, entre pesquisadores e estudantes (indígenas e não indígenas) de vários países. 23/11/2012 às 16:09
Show 1
Expedição visa valorizar cultura indígena
acritica.com Manaus (AM)

Manaus será a primeira capital brasileira a receber a Expedição Ruta Inka, que foi criada em 2000 no Peru e percorre lugares arqueológicos e comunidades indígenas, com o objetivo de valorizar as culturas desses povos na América do Sul.

O trajeto é feito por meio de navio, ônibus, trilha e trem. Assim que chegam ao local programado, os visitantes ficam acampados e chamam a atenção da sociedade para a importância da ação.

“A Secretaria de Estado para os Povos Indígenas (Seind) apoia de forma institucional a iniciativa, considerando que o trabalho desenvolvido visa difundir e valorizar a cultura dos povos indígenas da Amazônia nos cinco continentes do mundo”, disse o secretário do órgão, Bonifácio José Baniwa, que recebeu o presidente da Associação Ruta Inka, entidade peruana organizadora da expedição, Ruben La Torre, nesta sexta-feira (23).

Duas etapas

Formada por indígenas de Peru, Bolívia e Equador, a Associação Ruta Inka realiza a expedição há uma década na América do Sul. Para 2013, a atividade foi dividida em duas etapas, com a participação de 300 pessoas.

A primeira percorrerá Chile, Argentina e terminará nas ruínas pré-hispânicas de Tiahuanaco, na Bolívia, também com 150 participantes. A segunda segue da Bolívia para o Peru, de onde cruzará o rio Amazonas até Manaus.

“É uma oportunidade para qualquer estudante do mundo interessado nas culturas indígenas dos países em questão e também para aqueles que querem conhecer a Amazônia e sua diversidade”, destacou La Torre, que é natural de Cusco (a aproximadamente 400 quilômetros de Lima) e já foi diplomata do Peru e vice-cônsul do país em São Paulo, na década de 1990.