Publicidade
Cotidiano
Notícias

Falta de unidades de saúde superlotam posto do Tarumã

Fechamento e obra atrasada de centros de atendimento médico acumulam demanda por médicos na Vila São Francisco há dois anos 05/01/2013 às 11:24
Show 1
Unidade do Campos Salles começou a ser construída em 2010 e já teve entrega remarcada por duas vezes; Governo ainda não deu novo prazo para funcionamento
Carolina Silva e Steffanie Schmidt ---

Falta de médicos e filas que começam na madrugada são algumas das consequências da superlotação que vem sendo denunciada por moradores do bairro Tarumã no posto de saúde da Vila São Francisco, Zona Oeste. Localizado no km 3 da avenida do Turismo, em frente à escola Municipal Marechal Cândido Rondon, a unidade de saúde está sem atendimento clínico geral porque o médico responsável está de férias, segundo denúncia de pacientes. O problema é um retrato da falta de gestão do atendimento de saúde na cidade.

De acordo com a doméstica Márcia Helena da Silva Cavalcante, 42, a situação no Tarumã vem piorando desde que o posto de saúde localizado no final da avenida Coronel Jorge Teixeira, nas proximidades da Marina do David, Ponta Negra, Zona Oeste, foi desativado.

“Isso já tem mais de dois anos e todas as pessoas que iam até o local passaram a procurar o posto do Tarumã”, afirmou. Além disso, as invasões que se estabeleceram no Tarumã como Parque São Pedro e Parque Riachuelo aumentaram a demanda por atendimento médico, segundo Helena, que mora na região há 18 anos.

“Fiquei gestante há uns dois anos e quando precisava, me deslocava até o Adrianópolis para me consultar no Instituto da Mulher (anexo ao hospital e pronto-socorro 28 de Agosto”, completou.

A situação do local é tão precária que até pouco tempo quem dava um apoio como recepcionista e orientava os pacientes era uma moradora da Vila São Francisco, onde está localizada a unidade de saúde. “Ela era voluntária. Agora ela se mudou e colocaram uma outra menina”, contou Renata Alves, 23, que mora em frente ao local.

Messias Schneider, 13, faz tratamento odontológico no local, mas tem que enfrentar a fila de madrugada, por volta das 3h, se quiser ser atendido. “Por conta disso, o tratamento está demorando a terminar”, disse.

Resolução

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informou, por meio da assessoria de comunicação, que a nova gestão da pasta já começou a apurar os problemas nos serviços da rede municipal de saúde para tomar as devidas providências de modo a garantir melhorias aos usuários. A assessoria informou ainda que a Semsa irá apurar a denúncia dos moradores do Tarumã.