Publicidade
Cotidiano
SAÚDE

FCecon aumenta número de procedimentos de endoscopia no primeiro trimestre de 2018

De janeiro a março de 2018, foram registrados 571 exames de diversas modalidades, contra 419, no ano passado 23/04/2018 às 11:59
Show saude
(Foto: Divulgação/Assessoria)
acritica.com

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Saúde (Susam), registrou o aumento de 36,30% no número de procedimentos realizados pelo Serviço de Endoscopia, no primeiro trimestre deste ano, quando comparado com igual período de 2017. De janeiro a março de 2018, foram registrados 571 exames de diversas modalidades, contra 419, no ano passado. “Com a reformulação do fluxo e o reforço da equipe, conseguimos ampliar a oferta desse tipo de exame, considerado de extrema importância para o apoio ao diagnóstico de diversos tipos de câncer”, destacou a diretora-presidente da FCecon, engenheira biomédica Ana Paula Lemes.

Endoscopia é um termo médico que inclui exames utilizados para a exploração visual de uma determinada cavidade. Na FCecon, instituição considerada referência em cancerologia na Amazônia Ocidental, são ofertadas as seguintes modalidades de endoscopia: cistoscopia (bexiga), laringoscopia (laringe), broncoscopia (pulmões e brônquios), colonoscopia (intestino grosso) endoscopia digestiva alta (esôfago, estômago e duodeno), retossigmoidoscopia (reto e sigmoide) e videohisteroscopia (útero/endométrio) – este último ofertado com exclusividade pela Fundação, no SUS do Amazonas.

O gerente do Serviço de Endoscopia da FCecon, médico Thiago Silveira Paiva, justificou a elevação no número de atendimentos ao trabalho de sensibilização feito pela equipe do setor, além da reorganização de fluxos, realização de treinamentos e contratação de novos funcionários. Com essas medidas, foi possível manter o atendimento diário e absorver a demanda reprimida sem comprometer os serviços oferecidos.

O médico enfatizou que também houve aumento de 30% no número de procedimentos realizados entre 2016 e 2017, passando de 1.658 exames para 2.158.

 Especialista em endoscopia digestiva pela Sociedade Brasileira de Endoscopia (Sobed), Thiago Paiva explicou que os exames endoscópicos são necessários para o diagnóstico, estadiamento e tratamento de diversas lesões oncológicas ou precursoras do câncer. “Durante o procedimento, é possível visualizar as lesões e fazer a retirada de fragmentos, que são encaminhados à análise histopatológica (biópsia). Nas situações em que as lesões estão em estágio inicial, pode-se fazer a ressecção (retirada total da região afetada) por via endoscópica”, explicou. 

Segundo o médico, a FCecon tem realizado um trabalho intenso de humanização, visando a melhoria do serviço prestado ao paciente que busca tratamento especializado na instituição. Ele destacou que as ações envolvem a sensibilização por parte dos profissionais que trabalham com os pacientes, desde a acolhida e preparo, passando pelas orientações e vídeos explicativos sobre os procedimentos adotados, até a alta com o laudo do exame em mãos.

Solicitação de exames 

Para ser atendido pelo Serviço de Endoscopia é preciso apresentar a solicitação de exame com justificativa para realização, cartão do SUS e documento de identificação com foto. Agendado o exame, o paciente recebe todas as orientações quanto ao preparo.

 

Faltosos

Thiago Paiva reforça que, um dos maiores desafios do Serviço, em 2018, é reduzir o número de pacientes faltosos. “O paciente não avisa com antecedência que faltará. Por isso, não temos tempo hábil para colocar outra pessoa no lugar. Realizamos um trabalho forte de conscientização e sensibilização na hora do agendamento e na confirmação via telefone na véspera do exame. Mas, ainda assim, o percentual de faltosos continua alto”.

Mutirão 

Visando dinamizar o atendimento, a FCecon realiza, mensalmente, mutirões de laringoscopia (verificação por imagem das cordas vocais). O mutirão é uma forma rápida e eficaz para absorver a demanda e ampliar o número de atendimentos. O próximo está programado para maio, com data a ser definida. A previsão é de que sejam atendidos pelo menos 40 pacientes.

Segundo a enfermeira do serviço de Endoscopia, Shirley Fragoso Monteiro, o exame laringoscópico é rápido, seguro e não exige preparo tão minucioso do paciente se comparado com o de outros exames endoscópicos. No primeiro trimestre deste ano, a FCecon realizou três mutirões, sendo dois na primeira quinzena deste mês. Ao todo, foram atendidos 60 pacientes. Em 2017, foram realizados sete mutirões.

*Com informação da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade