Publicidade
Cotidiano
Notícias

Feira tecnológica da Fucapi prioriza sustentabilidade no AM

Evento de alunos da Fundação mostra que conhecimento pode trazer economia e sustentabilidade para o dia a dia da cidade 09/11/2012 às 10:56
Show 1
9ª Feira Tecnológica da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica
CAROLINA SILVA ---

Projetos inovadores que priorizam o desenvolvimento sustentável chamaram a atenção dos visitantes da 9ª Feira Tecnológica da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), que fica localizada no Distrito Industrial, Zona Sul.

Mais de 70 trabalhos de alunos dos cursos técnicos e do ensino médio da instituição estão sendo expostos na mostra de tecnologia que iniciou ontem com o tema “Inovação e Sustentabilidade”.

O objetivo da mostra é apresentar de que maneira o aprendizado adquirido nas salas de aula pode ser colocado em prática.

Reciclagem

Foi pensando em facilitar o trabalho de pessoas e empresas que lidam com a reciclagem de latinhas de alumínio, como as de refrigerante, e de garrafas de plástico que, em dois meses, alunos de uma das turmas do curso de Automação Industrial da Fucapi desenvolveram um braço robótico que tem a função de separar o material metálico do não-metálico.

O estudante Atos Rafael Marques, 21, explicou que o braço robótico é programado para agarrar a latinha de refrigerante e colocar o material em uma esteira. Por meio de um sensor, a esteira deve ser ‘avisada’ da presença de material metálico. Com essa detecção, é feita a separação do material metálico do não-metálico.

“Isso ajudaria muito no processo de destinação final desses materiais. E é o objetivo do projeto”, completou o estudante, ao detalhar o funcionamento do projeto.

Bicicleta sustentável gera energia com as pedaladas


Aliando atividade física com sustentabilidade também foi possível desenvolver um projeto inovador para transformar energia mecânica em elétrica. A “Bicicleta Sustentável” foi projetada por alunos do 1º ano do ensino médio.

“O principal componente do nosso projeto é o dínamo, um aparelho que converte uma forma de energia em outra. Nesse caso, ele transforma a energia mecânica da força da pedalada em energia elétrica. Também usamos um transformador (tipo de dispositivo) que eleva a potência da energia gerada que é limpa e saudável”, explicou o estudante Enoc Maia, 15.

As ideias inovadoras também se voltaram especificamente para a região Amazônica. É o caso do projeto “Maremotriz”. A ideia do grupo de alunos do curso de Eletrotécnica também está focada na energia limpa. O objetivo é contribuir com a matriz energética do Amazonas aproveitando as forças da correnteza dos rios da região. O protótipo mostra que a correnteza das águas, exercendo uma força mecânica em cima de uma hélice, transforma essa energia mecânica em eletricidade por meio do dínamo, o conversor de energia.

“Ainda dependemos muito da queima de óleo diesel para geração de energia elétrica com as chamadas termelétricas. Com o uso da força da correnteza dos rios seria possível contribuir com 30% de energia para a nossa matriz energética. Uma energia limpa, sustentável, barata e contínua”, argumentou o estudante Jorge Baruf, 26. Com esse meio de gerar energia elétrica, ele aponta que não seria necessário construir represas, o que reduziria o impacto ambiental.