Publicidade
Cotidiano
clima mundo

Fenômeno climático vai aumentar temperatura no planeta em 2012

La Niña fará subir a temperatura do planeta, podendo confirmar a previsão de que 2012 terá temperaturas mais altas desde 1850 09/01/2012 às 07:19
Show 1
Desmatamentos são um dos fatores que contribui para o aumento acelerado da temperatura média do planeta
Ana Celia Ossame Manaus

A informação de que este ano de 2012 pode se tornar um dos dez mais quentes desde o ano de 1850, divulgada pelo Met Office, do Departamento de Meteorologia do Reino Unido, confirma dados que já vêm sendo levantados pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), por meio das análises do pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC), do Governo Federal. A afirmativa foi feita ontem pelo pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Antônio Manzi. A ocorrência do fenômeno “La Niña”, o aumento da concentração de gases de efeito estufa na atmosfera, além de desmatamento, estão entre as principais causas desse problema, afirma ele.

Para a OMM o ano de 2011 foi o 11º ano mais quente já registrado no Planeta, com 0,36 grau Celsius acima da média de longo prazo aferida entre as décadas de 1960 e 1990, que foi de 14 graus. Para este ano, os meteorologistas preveem um desvio acima da média, de 0,48 grau, com uma margem de erro de 0,14 grau para mais ou menos. A exemplo de 2011, quando houve um fortíssimo La Niña, fenômeno climático caracterizado pelo resfriamento das águas do Oceano Pacífico equatorial, que pode alterar temporariamente as temperaturas globais, o fenômeno está de volta, embora não seja tão forte quanto no começo do ano passado, e deve influenciar muito as temperaturas. A organização também indicou que todos os 12 anos mais quentes da história ocorreram entre 1998 e 2011.

Antônio Manzi, doutor em Física da Atmosfera, explica que a temperatura média do planeta vem aumentando aceleradamente por conta não só da concentração de gases de efeito estufa da atmosfera, causada, principalmente, pelo gás carbônico produzido pela queima de combustíveis fósseis, como carvão mineral e derivados de petróleo, mas também pelos desmatamentos.

 “Doze dos últimos 14 anos foram os mais quentes registrados desde 1850, quando se iniciaram as observações meteorológicas rotineiras, sendo que 2010 foi o mais quente de todos”, destaca o pesquisador, lembrando que em 2011 o Oceano Pacífico tropical esteve mais frio que na média histórica por conta do fenômeno “La Niña”, que provoca o resfriamento de uma extensa área do Oceano Pacífico. “Já o ano de 2011 foi o 11º mais quente da série histórica de um pouco mais de um século e meio”, complementa Manzi, lembrando, no entanto, que neste 2012 o fenômeno “La Niña” deve enfraquecer e, com isso, fazer subir a temperatura do planeta, podendo confirmar a previsão de que deve ser o mais quente desde 1850.