Publicidade
Cotidiano
Notícias

Fim da isenção: viagens para o exterior estão até 25% mais caras

Com o fim da isenção do Imposto de Renda para remessas para fora do País ficou mais caro fazer viagens a turismo ou estudo 24/01/2016 às 12:53
Show 1
A desvalorização do real e o aumento dos tributos ajustou os planos de quem pretende viajar
Cinthia Guimarães Manaus (AM)

Realizar aquela tão sonhada viagem turística para o exterior ou tirar da gaveta o projeto de estudar fora do país agora pode ficar de 25% a 33% mais caro por causa do fim na isenção do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) a ser aplicado a partir de 2016 no envio de recursos para o exterior por agências e operadoras de viagem.

Desde janeiro as empresas de turismo passariam a ter um custo total de 33% de IRRF nos pagamentos de fornecedores contratados fora do Brasil. Esta é mais uma decisão do governo federal para o chamado ajuste fiscal decidindo que a alíquota a ser aplicada será de 6,38%, a mesma cobrada em operações de cartões de crédito.

Quem explica o assunto é vice-presidente do Instituto de Estudos Tributários (IET), advogado Rafael Korff Wagner. Segundo ele, o fim da isenção do IR enfraquece o setor de turismo e impacta diretamente as pessoas e empresas.

“A alíquota de 25% do IRRF torna as remessas de valores para custear viagens de turismo, negócios ou com fins educacionais para o exterior extremamente custosa. Com isso, não será mais vantajoso comprar pacotes de turismo para viagens internacionais no Brasil, e os brasileiros passarão a optar cada vez mais pelo uso do cartão de crédito em viagens internacionais ou até mesmo levando dinheiro em espécie”, afirma. As transações realizadas no exterior com cartão de crédito são tributadas pelo IOF, com alíquota de 6,38%, por exemplo.

A franqueada da CI Intercâmbio em Manaus, Juliana Barros, explicou que o aumento vai incidir sobre o valor do pacote turístico de intercâmbio comprado na agência, como o curso de línguas, a acomodação, o seguro saúde e as taxas referentes a esses serviços, com exceção das taxas que são de competência da agência no Brasil.

“Só serão cobrados os valores mandados para fora. Se vai inibir depende muito do cliente. Claro que o aumento dá uma assustada para qualquer pessoa que estava querendo viajar. Mas as pessoas que estao se planejando a mais tempo isso é um ponto a mais para se organizar”, explicou.

Serviço

CI

Rua Rio Içá, 525 - Nossa Sra. das Gracas. Tel: (92) 3347-3193

IE

Av. Tancredo Neves, 282 - Parque 10 de Novembro. Tel: (92) 3877-7377

CVC

Amazonas Shopping, Manauara, Millennium, Sumaúma

Destaque

A isenção do IR, garantida pela Lei nº 12.249/2010, vigorou de 01 de janeiro de 2011 até 31 de dezembro de 2015. O limite não-tributável era de R$ 20 mil.

Quatro vantagens de estudar fora:

Melhorar a fluência em um segundo idioma

Cursos de idiomas ainda hoje, são as opções mais procuradas por quem decide estudar no exterior. Estudantes relatam que a experiência fora do país, traz mais segurança tanto na escrita, quanto na fala, pois, além dos momentos em sala de aula, o cotidiano e a rotina vivida no país são um treino diário para o aluno.

Capacitação

A realização de cursos de especialização, diplomas, universidade ou cursos de pós-graduação fora do Brasil são uma excelente opção para o profissional que deseja se especializar, independente da idade. As escolas oferecem aulas em diversas áreas e com durações diferentes, podendo variar de seis meses a dois anos.

Criatividade

Soluções inovadoras e profissionais criativos conseguem lugar destaque no mercado e fazem parte do perfil de funcionário procurado pelas empresas. O contato com outras culturas, viver situações adversas fora da zona de conforto e o instinto de pensar em soluções alternativas para resolver problemas são vantagens de quem já morou fora.

Destinos diversos

Nem só de EUA e dólar americano vivem os intercambistas. Destinos alternativos como Canadá, Malta, Nova Zelândia e África do Sul, oferecem cursos de especialização e técnicos em diversas áreas que vão desde gastronomia, aviação, arquitetura, engenharia e comunicação.

FONTE: IE Intercâmbio