Publicidade
Cotidiano
Notícias

"Foi melhor sair e esclarecer tudo do que ficar três meses sendo acusado pelo público", diz ex-BBB Daniel no Twitter

“Não posso dizer que fiquei feliz com a decisão, mas foi melhor sair e esclarecer tudo do que ficar três meses sendo acusado pelo público. A eliminação foi melhor para a minha imagem e para o andamento do programa”, disse ele no microblog 18/01/2012 às 09:19
Show 1
Daniel escreve em sua conta do Twitter (17/1/12)
UOL/BBB12 ---

Na noite desta terça-feira (17), Daniel falou pela primeira vez sobre sua expulsão do "BBB12" em sua conta no Twitter. Nas mensagens, o ex-BBB alegou ser contra qualquer tipo de violência ou abuso. Agradeceu também pelas mensagens de força e apoio do público e acredita que tenha sido melhor sair do programa para resolver tudo do lado de fora.

“Não posso dizer que fiquei feliz com a decisão, mas foi melhor sair e esclarecer tudo do que ficar três meses sendo acusado pelo público. A eliminação foi melhor para a minha imagem e para o andamento do programa”, disse ele no microblog.

O modelo foi expulso do "Big Brother Brasil 12" "devido a um grave comportamento inadequado". Após festa regada a álcool no último sábado, Daniel e Monique foram para um quarto, trocaram beijos e carícias sob o edredom. Nas câmeras do pay-per-view também foi possível ver Daniel fazendo movimentos que sugerem um ato sexual entre os dois, enquanto a gaúcha Monique parecia desacordada.

Em depoimento hoje à polícia, Monique afirmou que estava consciente e que não houve penetração no ato transmitido pela internet e pelo sistema pay-per-view, na TV paga, na madrugada do último domingo (15). Contudo, o delegado que responde pelo inquérito no 32º DP (Taquara, zona oeste do Rio), Antônio Ricardo, já disse que pretende seguir a investigação, fazendo perícia em objetos que foram recolhidos no local.

A polêmica sobre a prática ou não de estupro no programa Big Brother Brasil não está tão perto de terminar: para um especialista em direito criminal ouvido pela reportagem do UOL nesta terça-feira (17), provas periciais --que apontem o grau de inconsciência da estudante Monique Amin, 23, durante a troca de carícias com o modelo Daniel Echaniz, 31, ainda podem determinar com mais precisão se houve estupro ou crime de violação sexual, de pena mais branda.