Publicidade
Cotidiano
Notícias

Gata mordida por pedreiro em Iranduba é liberada para adoção

A gata está sob a responsabilidade da vice-presidente da ONG Proteção, Adoção e Tratamento Animal (Pata), Joana Darc Cordeiro. aguardando um novo dono 02/02/2013 às 10:05
Show 1
Drama da gata mexeu com a cidade e agressor foi indiciado por maus-tratos
acritica.com ---

Após 11 dias internada numa clínica veterinária em Manaus, a gata “Irandubinha”, como foi batizada, recebeu alta médica ontem e agora espera ganhar um novo lar. Mãe de seis filhotes, a gata foi atacada a mordidas no último dia 21 de janeiro pelo pedreiro Mauro Neves Rodrigues de Souza, 42, no Município de Iranduba (a 25 quilômetros da capital).

A gata está sob a responsabilidade da vice-presidente da Organização Não-Governamental (ONG) Proteção, Adoção e Tratamento Animal (Pata), Joana Darc Cordeiro, que resgatou a felina junto com a também ativista pelo direito dos animais, Erika Schloemp.

“Irandubinha” e os filhotes foram resgatados no dia seguinte do ataque, quando o agressor foi preso pelos policiais do 31º Distrito Integrado de Polícia (31º DIP), de Iranduba.

“Irandubinha” teve a jugular mordida e foi internada na clínica veterinária Manaus AuAus,  localizada no conjunto Ajuricaba, bairro Planalto, Zona Oeste. Além dela, os seis filhotes, que devem ter cerca de 1 mês e 15 dias de vida, também ficaram internados porque estavam debilitados.

Segundo Joana Darc Cordeiro, com a repercussão do caso “Irandubinha” na mídia por conta do vídeo compartilhado no YouTube pelo cineasta Zeudi Souza que flagrou o ataque, mais de 20 pessoas mostraram interesse em adotar um dos felinos.

“As pessoas entraram em contato com a ONG por e-mail e pelo Facebook. Agora que a gata e os filhotes receberam alta vamos entrar em contato com cada um interessado para explicarmos como será a escolha dos futuros tutores. Os felinos precisam ser encaminhados para tutores que assumam as responsabilidades e cuidem bem dos animais”, disse.

A ONG Pata adquiriu o direito do vídeo feito pelo cineasta Zeudi Souza, que retirou do site YouTube, e formalizaram um Boletim de Ocorrência contra o pedreiro Mauro Neves que foi preso e liberado. Ele alegou em seu depoimento na delegacia que estava bêbado e sem consciência do que estava fazendo.

O agressor foi indiciado por maus tratos a animais. Se for condenado, a pena pode ser de três meses a um ano mais o pagamento de multa.