Publicidade
Cotidiano
Notícias

Governador garante data-base de servidores até o fim do ano

José Melo citou a Bíblia e disse que reconhece o direito dos servidores e que vai buscar os recursos para fazer os pagamentos 29/04/2015 às 21:29
Show 1
governador José Melo, que deu posse à nova direção da FHemoam, disse que o reajuste vai sair a medida em que a crise da arrecadação acabar
Luana Carvalho Manaus (AM)

O governador José Melo citou uma passagem bíblica, falou da atual crise econômica na qual o País vive e disse que Deus irá ajudá-lo a resolver os impasses no cumprimento da data-base dos servidores públicos das áreas da educação e segurança pública, durante cerimônia de posse do diretor da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), Nelson Fraiji, na manhã desta quarta-feira (29).

“Fizemos a lei das promoções automáticas para os praças, que são promovidos de acordo como tempo de serviço e desenvoltura enquanto profissionais, chegou a data de cumprimento da lei que eu mesmo mandei fazer, e não tenho recurso. Mas sei que Deus vai nos ajudar e ainda esse ano nós teremos o dinheiro para isso”, declarou José Melo.

Bastante aplaudido pelos funcionários do Hemoam, o governador voltou a falar de ‘aflições’. “Sou um homem religioso e acredito em Deus em todos os aspectos, ele nunca faltou comigo. Eu vivi esses últimos 15 dias com muita angústia, pois há 32 anos que eu boto na minha cabeça a ideia de ser governador e ninguém faz ideia de quantos abusos eu aguentei e quanta tolerância tive que ter. Eu vivi a angústia de ver a receita do Estado despencar, ver uma situação de crise aguda pela qual passa o País e ver aproximar-se a data-base dos meus servidores sem ter dinheiro para cumprir”.

Melo declarou, ainda, que para não incorrer em irregularidades que poderiam até tirá-lo do cargo de governador, reduziu 702 cargos comissionados para que os serviços básicos não fossem comprometidos. “Eu assumi comigo mesmo o compromisso que seja qual for a crise, eu sacrificarei qualquer coisa, mas não  sacrificarei o serviço e níveis de ganhos que meus servidores tenham conquistado ao longo dos anos de trabalho. Esta mão não assinará nenhum projeto de lei no sentido de reduzir níveis de ganhos ou acabar com conquistas que tivemos até hoje, como outros governadores estão fazendo em outros Estados”.

Manifestações

Na última segunda-feira, servidores das policiais Civil e Militar, Bombeiros, peritos, escrivães, delegados e professores municipais e estaduais participaram de um protesto que percorreu as ruas da cidade e foi até a sede da prefeitura e do governo.

Eles prometeram parar as atividades ainda nessa semana caso o governador José Melo   não atenda as principais reivindicações das categorias, principalmente o cumprimento da data-base e  promoções de praças. Nesta quarta, eles se reuniram mais uma vez para traçar estratégias para garantirem os seus direitos.

Meta da administração é quintuplicar atendimento

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam) deve quintuplicar a capacidade de atendimento e ampliar a realização de pesquisas na área de sangue nos próximos quatro anos. As metas foram destacadas pelo governador José Melo, ontem, durante a posse para novo mandato do diretor-presidente,  Nelson Fraiji. Com os investimentos, o Governo do Amazonas consolida a unidade como polo regional para tratamento de doenças do sangue das redes pública e privada de saúde.

Mais de R$ 97 milhões serão investidos na ampliação da capacidade de estrutura e tecnologia do hemocentro amazonense. Os recursos para obras são do governo estadual, governo federal e emendas da bancada de parlamentares do Estado. A principal obra é o novo Hospital do Sangue em Manaus, que está em construção onde funcionava o Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro e vai ser integrado ao complexo do Hemoam.

Há recursos assegurados também para a construção de um Banco de Células de Cordão Umbilical, na capital, e de oito Hemonúcleos no interior. O primeiro deles será instalado em Coari (a 363 quilômetros de Manaus), com previsão de início de obras para o segundo semestre deste ano.

O novo Hospital do Sangue tem a infraestrutura projetada para a demanda das próximas duas décadas, avançando nas condições de tratamento para pessoas com câncer e doenças hemoterápicas. Haverá aumento de capacidade em todos os níveis de atendimento, com ampliação de serviços, laboratórios, enfermarias e construção de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulta e pediátrica.

Blog: Nelson Fraiji

Diretor-presidente da Fundação Hemoam

"O desafio  para o Estado do Amazonas   é construir o Hospital do Sangue . Já temos recurso federal para a construção, mobiliário e equipamento. Hoje 17% das obras estão concluídas. O espaço de 10 mil metros quadrados se transformará em 25 mil m². Além disso,  vamos construir oito núcleos no interior  que vão fazer parte da estrutura gerencial e administrativa do Hemocentro. Logo serão  oito unidades, o hospital, a área de hemoterapia e laboratório de análises clínicas, que é referência no  Brasil e realiza exames de alta e média complexidade para a população do Estado. No interior serão  mini hemocentros, que colhem sangue, processam e distribuem nas cidades da região. Parintins, Itacoatiara, Tefé, Coari, Manacapuru, Tabatinga, Humaitá e São Gabriel da Cachoeira receberão essas unidades. Vamos começar a construir o de Coari provavelmente neste ano. Temos recursos de bancada para mais quatro, mas penso que só ano que vem que a gente deve construir.  Já o hospital nós queremos concluir em um ano".