Publicidade
Cotidiano
Notícias

Governador José Melo vai reduzir em 10% seu próprio salário, do vice e dos secretários

Redução alcança também a remuneração dos ocupantes de cargos que tenham responsabilidades, deveres, direitos, garantias e remuneração equiparados aos cargos de confiança 06/10/2015 às 18:10
Show 1
Medida atingirá todo o primeiro escalão do governo
Janaína Andrade Manaus (AM)

O governador José Melo (Pros) encaminhou na tarde de hoje (5) para a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) um projeto de lei que reduz em 10% o próprio salário, além do salário do vice-governador Henrique Oliveira (SDD), e de todo primeiro escalão, que inclui secretários, subsecretários e diretores de autarquias e fundações.

A medida vai economizar R$ 1,2 milhão. Hoje o salário do governador Melo é de R$ 17,1 mil. Com a redução em 10%, perderá R$ 1,7 mil, passando a receber R$ 15.390,00. Seu vice, Henrique Oliveira (SDD), recebe hoje R$ 15,4 mil, e deixará de receber R$ 1.540,00. O staff de Melo hoje é formado por 36 secretários, sendo 26 executivos e seis extraordinários, com salários de R$ 15 mil, cada.

Com o encolhimento no salário dos 36 secretários, Melo deve economizar, ao mês, R$ 48 mil. O secretariado do Estado custa hoje ao bolso do contribuinte R$ 480 mil por mês. O número de subsecretários no Estado – 26 - é inferior ao número de secretários, 36, isso porque os seis secretários extraordinários não possuem sub.

O salário de um subsecretário no Amazonas é de R$ 13 mil. Os 26 servidores custam R$ 338 mil ao mês. Com o corte de 10%, o governo do Amazonas deve poupar R$ 33,8 mil.

Simbolismo

A decisão, segundo Melo, é simbólica e visa dar o exemplo. "Foi uma das coisas que me doeu muito. Os secretários estão desde o primeiro governo do Eduardo (Braga) sem aumento. Mesmo assim, por conta da crise, fizemos um corte no meu salário, no do Henrique (Oliveira), no dos secretários, dos adjuntos e nos diretores de órgãos da administração indireta. Prefiro assim do que cortar o salário daqueles que ganham muito menos, embora eu saiba que os secretários estão há mais de nove anos sem ajuste. O problema não é a economia, é o simbolismo. Para que eu possa acenar para o meu pequeninho que estou fundindo secretarias, fazendo ajustes no governo e mantendo meu salário intacto. Estamos fazendo tudo isso para garantir o salário e ganhos dos servidores públicos, serviços essenciais e atendimento dos nossos irmãozinhos do beiradão"

Para o líder do governo na ALE-AM, deputado David Almeida (PSD), a medida serve de exemplo para os outros Estados no enfrentamento da crise.

“Essa é mais uma medida do governo do estado para conter os gastos em função dos impactos da queda mensal na arrecadação do Amazonas. O governador José Melo mais uma vez demonstrou que está disposto a mudanças, e agora cortou até mesmo parte de seu próprio salário, dando exemplo a outros estados em como enxugar a máquina administrativa. Esse é um ajuste a nova realidade. A expectativa é votar até a quinta-feira essa e outras medidas”, defendeu David.

*Atualizada às 18h do dia 6 de outubro para a inclusão de informações