Publicidade
Cotidiano
Notícias

Governo e Prefeitura de Manaus buscam meios para compensar perda de arrecadação tributária

Os cofres municipais já deixaram de arrecadar nos primeiros três meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2013, de R$ 35 milhões a R$ 40 milhões, principalmente de ISS 28/04/2015 às 10:41
Show 1
Afonso Lobo afirma que investimentos em infraestrutura tem recursos assegurados e não devem ser afetados
ARISTIDE FURTADO Manaus (AM)

Assim como o Governo do Estado, a Prefeitura de Manaus também enfrenta problemas de arrecadação devido ao cenário econômico nacional adverso. Os cofres municipais já deixaram de arrecadar nos primeiros três meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2013, de R$ 35 milhões a R$ 40 milhões, principalmente de ISS.

O titular da Secretaria Municipal de Finanças, Ulisses Tapajós, ressaltou que as medidas tomadas pela equipe econômica do governo federal repercutem no Estado. “As medidas que o ministro Joaquim Levi está tomando para disciplinar o processo econômico financeiro brasileiro leva a uma série de medidas de austeridade que se refletem na queda de mercado”, disse o secretário.

“A gente tem procurado reagir através de novas metodologias, de novas descobertas de nichos de mercado onde a gente pode melhorar a nossa arrecadação para compensar essa queda. Um fator muito significativo é que a Prefeitura desenvolve hoje, tal como o governo do Estado, um programa de redução de gastos com o qual pretende compensar eventual queda de arrecadação”, disse.

Somando as perdas do Governo do Amazonas e da Prefeitura de Manaus, chega-se a R$ 270 milhões no primeiro trimestre deste ano.

Cenário desfavorável

Afonso Lobo destacou que os indicadores da economia brasileira e estadual são todos desfavoráveis. Na esfera regional, a geração de emprego está despencando. “Atividade industrial está em queda. No bimestre, que é o que está disponível, temos queda de 15,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Temos também o comércio em queda, geração de emprego negativa. Até então, vínhamos contratando mais do que demitindo”, enfatizou.

De acordo com o titular da Sefaz, a arrecadação do Governo caiu 10,5% nos primeiros três meses deste ano, em relação a igual período do ano passado. “Em termos absolutos, perdemos R$ 234 milhões. Efetivamente, a crise econômica brasileira e amazonense atingiu a arrecadação tributária. Se a atividade econômica está em queda não tem como a arrecadação estar em alta”, explicou Afonso Lobo.

A expectativa é que o cenário melhore no segundo semestre.