Publicidade
Cotidiano
Folclore, cultura, festival de Parintins 2012,Boi Garantido

Gravação de CD e DVD do Boi Garantido terá coreografias acrobáticas

As coreografias para o grande espetáculo de gravação do CD/DVD, foram elaboradas dentro de um contexto de pesquisa 21/01/2012 às 18:37
Show 1
Trabalhos coreográficos surpreenderão o público, durante o espetáculo de gravação do CD/DVD do bumbá Garantido
acritica.com Parintins

Novos elementos de dança e expressões corporais foram preparados para a gravação do CD e DVD “Tradição 2012”, do Boi Garantido, e conseqüentemente para o Festival Folclórico 2012. Uma produção cênica coreográfica que retrate o contemporâneo da dança folclórica, baseada em expressões acrobáticas para enriquecer a estética do espetáculo foram elaboradas para o evento.

De acordo com o coordenador cênico e membro da Comissão de Artes, Chico Cardoso, as coreografias para o grande espetáculo de gravação do CD/DVD, foram elaboradas principalmente dentro do contexto de pesquisa.

“Assim como o compositor de toada se apropria da poesia e da ficção, a gente faz a mesma coisa. Tem coreografias que podemos nos sustentar absolutamente no suporte da pesquisa”, destaca.

O coordenador cita como exemplo, que não existe ritual deslocado de uma tribo.

“O ritual é sempre vinculado a uma tribo e hoje com a disposição dos meios de comunicação como a internet, se torna mais acessível pesquisar. Por exemplo, pesquisamos a cultura Yanomamy para saber o universo e a cosmogonia em que esse povo se ampara para ser uma nação. É em cima disso que buscamos a movimentação correta para desenvolver esse trabalho” frisa.

Chico Cardoso enfatiza ter um momento absolutamente de pesquisa e outro de criação.

“Como trabalhamos com o folclore, embora a fundamentação seja essencial, há de se ter a liberdade poética para desenvolvermos um trabalho mais estético. Muita gente dança o compasso da coreografia que é montada para uma determinada toada”, disse.

Ele afirmou que outras danças são incorporadas no dois pra lá e dois pra cá do Boi Bumbá, por conta do próprio ritmo das toadas. Segundo Chico Cardoso, a coreografia da toada DNA Caboclo dispõe de elementos do forró, merengue e lambada. Enquanto que um pouco de forró pé de serra é demonstrado na toada Festa do Povo Vermelho.

“Essa mistura que é dada na música obriga que a gente misture também na coreografia”, explica.

Inovação
A equipe de coreógrafos do Boi Garantido, composta por Élio Siqueira, Pedro Evangelista e Marquinhos inovou com danças que lembram os movimentos dos animais da floresta amazônica como neste ano, na toada Arãtareimo. A coreografia da toada é voltada para um elemento primitivo, o primata.

Numa execução coreográfica na arena, haverá a transformação de gente em primatas.

O coreógrafo Marquinhos, criador da coreografia de Arãtareimo diz que buscou transformar a ideia proposta pela Comissão de Artes em algo com movimentos de macacos, de gorilas, numa dança acessível tanto aos dançarinos do Boi Garantido quanto ao povão.

“Nessa coreografia procurei movimentos da natureza. Com a interação da Comissão de Artes com os coreógrafos, o resultado sempre é a vitória”, argumentou.

Para o coreógrafo Pedro Evangelista, os compositores do Boi Garantido evoluíram em termos de musicalidade e as coreografias têm que acompanhar este processo.

Ele destaca que os trabalhos cênicos coreográficos prometem surpreender o público no mega espetáculo de gravação do CD/DVD, Garantido 2012, Tradição, no próximo sábado (28), no Bumbódromo, em Parintins.

Uma equipe de dançarinos da Companhia de Dança Garantido Show intensifica ensaios de movimentos de acordo com espaço de tempo por mais de três horas diariamente, de terça à sexta-feira, no Clube Ilha Verde, em preparação ao dia da gravação.

O coordenador cênico e coreógrafos executam junto aos dançarinos trabalhos de dinâmica das coreografias como o momento de entrada na arena, entre outros.

Segundo Chico Cardoso, este ano a Comissão de Artes orientou a equipe cênica coreográfica a elaborar coreografias mais contemporâneas do que folclóricas, baseadas em expressões acrobáticas para enriquecer a estética do espetáculo do próximo dia 28, além de permitir outras linguagens corporais nunca experimentadas no Boi Bumbá.