Publicidade
Cotidiano
MOBILIDADE URBANA

Grupo Pedala Manaus realiza Desafio Intermodal com 26 participantes e 18 modais

Assim como nos anos anteriores, a bicicleta foi o meio mais eficiente. O carro foi o último colocado, com quase 40 minutos para fazer todo o trajeto de 4,5km 21/09/2017 às 21:45 - Atualizado em 21/09/2017 às 21:45
Show capturar
(Foto: Divulgação)
Tiago Melo Manaus (AM)

O grupo Pedala Manaus realizou na tarde de hoje (21), pelo oitavo ano consecutivo, o Desafio Intermodal para demonstrar qual o meio de transporte mais eficiente da cidade. Participaram desta edição 26 pessoas em 18 modais diferentes e, assim como nos anos anteriores, a bicicleta foi o meio mais eficiente, ocupando as três primeiras posições.

De acordo com o coordenador do grupo, Paulo Aguiar, o desafio avaliou as diferentes formas de deslocamento nos quesitos tempo de trajeto, entraves e facilidade de cada modal, bem como sua eficiência nos critérios de velocidade, custo e emissão de poluentes.

"Cada participante podia escolher a melhor rota desde que seguisse todas as regras de trânsito, respeitando as sinalizações. E o grande vencedor da noite foi o ciclista Casio Augusto Stremel, que terminou o trajeto de 4,5km em cinco minutos", explicou Paulo.

O desafio este ano, que teve início às 18h, com saída da Rua Joaquim Nabuco e chegada no Parque dos Bilhares, trouxe duas novidades: a participação de um cadeirante e de um serviço de aplicativo para transporte. Além destes, diferentes modais, como pedestres, automóveis, motocicletas, skate, patins, bicicletas e o transporte público foram testados como de costume.

 

Segundo Paulo Aguiar, o objetivo do desafio é despertar a atenção da sociedade para alternativas de transporte mais eficientes que o automóvel. Não só em relação à poluição, economia, saúde e interação com a cidade, mas, também à rapidez e mobilidade urbana.

"Na competição de hoje, o carro foi o último colocado, com quase 40 minutos para fazer todo o trajeto. Ao contrário dos transportes ativos, como bicicletas e patins, a cada edição que passa os automóveis e transportes públicos ficam cada vez mais caros e lentos", disse o coordenador do grupo.                       

Paulo ressaltou ainda que até os pedestres correndo e caminhando se saíram melhor que os carros na competição, terminando o percurso em 32 e 22 minutos respectivamente.

Conforme o coordenador, a ideia do desafio não é apenas gerar números, mas sim promover um debate sobre a questão da mobilidade urbana em Manaus. "Os resultados serão compartilhados com a Prefeitura para mostrar para eles que há alternativas viáveis e que isso deve ser levado em consideração na hora do planejamento urbano", comentou.

Para ele, a questão contudo não diz respeito apenas ao poder público. "A ideia é chamar a atenção da cidade para todas essas possibilidades de mobilidade, que é uma questão nossa também. Mudando de atitude, podemos mudar muita coisa", concluiu.