Publicidade
Cotidiano
Notícias

Grupos pró e contra permanência de José Melo no governo protestam em frente ao TRE-AM

Manifestantes fecharam a avenida André Araújo antes de o julgamento de representação contra o mandato do atual governador ter sido adiado na tarde desta segunda-feira (18) 18/01/2016 às 17:20
Show 1
Manifestantes se diviram contra e a favor de José Melo no governo, em protesto que paralisou o trânsito na Avenida André Araujo
Juliana Geraldo Manaus (AM)

Protestos contra e a favor da permanência do governador José Melo (Pros) no cargo movimentaram a Avenida André Araujo, nas proximidades da sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), na tarde desta segunda-feira,18.

Munidos de cartazes e carros de som, de um lado da pista estavam grupos simpatizantes à permanência de Melo no poder e de outro, manifestantes do movimento 'Fora Melo', defendendo o afastamento do atual governador do Amazonas.

Do lado de dentro do TRE-AM, deveria ocorrer a primeira sessão do ano no órgão, que tinha em sua pauta de julgamentos, o processo por compra de votos movido contra o governador e o seu vice, Henrique Oliveira (SDD).  O julgamento poderia resultar na cassação da chapa, mas em função da ausência de dois magistrados, a sessão foi adiada para a próxima semana.

Mesmo assim, os manifestantes realizaram o protesto durante aproximadamente uma hora. Entre os movimentos que saíram em defesa do governador estava a Associação de Moradores do Bairro Jorge Teixeira -2ª Etapa que levantava faixas com os dizeres ‘respeitem a vontade do povo’.

“As acusações contra José Melo não estão fundamentadas. Apoiamos essa gestão porque ela abriu as portas para as lideranças comunitárias, algo nunca feito antes”, defendeu o representante da associação, Abdias Trindade.

‘Fora Melo’

Atravessando a rua era possível encontrar os defensores da cassação do atual governador. Um dos grupos presentes foi o formado pelos aprovados no Concurso da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) de 2014.

“Das 30 mil vagas disponíveis, só 11 mil estão ocupadas. Era promessa de campanha dele (Melo) chamar os aprovados, o que não ocorreu. Enquanto isso, a saúde no Estado segue sucateado e sem o número de profissionais necessários”, argumentou Jossimar Farias, de 25 anos.

Quem também demonstrou insatisfação com a atuação do governador foi o grupo ‘Vem pra rua pela educação’, formado por professores ligados à Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e à Secretaria Municipal de Educação (Semed).

“Além de questões como a compra de votos que por si só já é um motivo para a cassação, ele (José Melo) também cometeu falhas graves na gestão da educação no Estado. Só para citar dois motivos,temos o sucateamento da pesquisa com a falta de pagamentos regulares pela Fapeam e a ausência de reajuste no salário dos professores”, reclamou um dos integrante do movimento, Jonas Araújo.

Julgamento

A representação que está sendo julgada pelo TRE-AM denuncia, dentre outras coisas, que às vésperas do segundo turno da eleição, a Polícia Federal apreendeu R$ 11,7 mil e documentos que incluíam notas fiscais, listas de eleitores e recibos com assinaturas da empresária Nair Blair e do irmão do governador, Evandro Melo.

Cinco dos sete magistrados da Corte já adiantaram voto a favor da cassação da chapa.Se os cinco membros que já votaram em sintonia com o parecer do Procuradoria Regional Eleitoral do Ministério Público Federal (PRE-MPF/AM) mudarem o voto e caso o TRE-AM rejeite os embargos de Melo, o caso será levado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).