Publicidade
Cotidiano
QUEDA

Indústria no Amazonas registrou perda de 24 mil postos de trabalho em 2015, diz IBGE

A análise foi feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada na tarde desta quarta-feira (28). Os dados compõem a Pesquisa Anual da Indústria - PIA, referente ao ano de 2015 28/06/2017 às 18:42
Show 352804
Ao todo, foram perdidas 50 unidades industriais com cinco ou mais pessoas ocupadas. (Foto: Arquivo/AC)
acritica.com* Manaus (AM)

Em 2015, o número de pessoas ocupando vagas na indústria caiu 19,2% em comparação com o ano anterior. Ao todo foram 24.882 postos de trabalho a menos, saindo de 129.381 em 2014 para 104.499 em 2015. O volume de salários pagos também sofreu redução de 2,3%. Os dados compõem a Pesquisa Anual da Indústria - PIA, referente ao ano de 2015, e foram divulgados na tarde desta quarta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As unidades locais industriais, que são os endereços onde as empresas atuam, sofreram forte retração de 4% em 2015. Ao todo, foram perdidas 50 unidades industriais com cinco ou mais pessoas ocupadas, caindo de 1.249 em 2014 para 1.199 em 2015, em todo o Estado. 

A crise econômica impôs a indústria queda na produção. Consequentemente, a esse desempenho refletiu na diminuição da receita líquida de vendas em 7,9%, o que em termos absolutos representou 7,4 bilhões a menos no faturamento da indústria.

Outras receitas da indústria como Valor bruto da produção (-4,5%), custo das operações industriais (-7,9%) e valor da transformação industrial (-0,2%), também tiveram queda de desempenho.

Regionalmente, o ano de 2015 também trouxe queda no desempenho da indústria. O número de unidades locais na Região Norte sofreu queda de -2,7% na comparação com 2014.

Dos sete estados que formam a região, cinco tiveram queda no número de unidades, sendo liderados pelo Amapá com a maior queda (-8,3%), vindo a seguir o Pará com (-4,6%), Amazonas (- 4%), Rondônia (-3,1%) e Roraima (-2,8%). Acre (6,1%) e Tocantins (5,8%) foram os únicos Estados que tiveram crescimento de unidades locais industriais.

*Com informações da assessoria de imprensa