Publicidade
Cotidiano
Notícias

Indústrias se animam com aumento de IPI e redução no Imposto de Importação

Para conter a importação de aparelhos de ar-condicionado vindos da Ásia, o Governo Federal cedeu às pressões do setor ainda em maio e decidiu fazer algumas mudanças 11/09/2012 às 09:30
Show 1
Ar-condicionado Split Inverse, da Consul, é lançamento feito no polo industrial
Renata Magnenti ---

Representantes de fábricas do setor de ar-condicionado instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) estão otimistas quanto à produção e vendas junto ao mercado varejista nos próximo meses. Algumas delas estão se desfazendo de produtos estocados desde o início do ano e aguardam os efeitos das medidas econômicas do Governo Federal, que estão vigorando desde 1º de setembro.

Para conter a importação de aparelhos de ar-condicionado vindos da Ásia, o Governo Federal cedeu às pressões do setor ainda em maio e decidiu fazer algumas mudanças. A partir do dia 1º está valendo o aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que passou de 15% para 35% e a redução no Imposto de Importação (II) de 35% para 18%.

“Estamos em estado de alerta e otimistas quanto ao futuro”, afirmou o vice-presidente de relações institucionais e sustentabilidade da Whirlpool América Latina, Armando Ennes do Valle Júnior. Ele disse ainda que o mercado está mudando, mas ainda está longe de se afirmar que o setor está consolidado.

Armando informou que quanto a contratações ainda não há grandes novidades e, assim como a Whirlpool, o setor tentou ao menos não demitir industriários. “O início desde ano foi complicado, mas há sinalização de um futuro melhor. Nós, por exemplo, lançamos alguns produtos e apostamos no Split Inverse (ver box)”.

Na avaliação do vice-presidente de novos negócios da Samsung, Benjamin Sicsu, as fábricas do setor instaladas no PIM têm capacidade para atender a demanda varejista nacional e se prospecta um aquecimento até o final deste ano. “Outro detalhe é que as fábricas estão aos poucos se desfazendo de seus produtos que estavam estocados desde o início do ano. E isso é uma ótima notícia”.

A LG Eletronics informou em nota que a empresa tem boas expectativas quanto ao futuro e que acumula crescimento contínuo no mercado.

Para a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) ainda é precoce avaliar as medidas em execução, mas deverá manter a vantagem comparativa. A autarquia informou também que a Komeco teve projeto aprovado em fevereiro para produzir aparelhos no PIM.