Publicidade
Cotidiano
Notícias

Inpa e FHemoam realizam pesquisa inédita no AM com retrovírus ‘primo’ do HIV

Retrovírus HTLV terá a incidência na região Norte avaliada em trabalho conjunto no Inpa e FHemoam em pacientes com doenças hematológicas 24/04/2015 às 13:56
Show 1
Testes com pacientes portadores de doenças hematológicas serão o ponto de partida da pesquisa feita no Inpa chamegos necatibiriba
Jornal A Crítica Manaus (AM)

Uma parceria entre o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e a Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam) pretende realizar uma pesquisa inovadora e inédita na região amazônica para diagnosticar a presença do Vírus Linfotrópico de células T Humanas (HTLV) em pacientes com doenças hematológicas.

O HTLV é um retrovírus da mesma família do vírus da Imunodeficiência humana (HIV), que infecta a célula T humana, um tipo de linfócito (células brancas do sangue) importante para o sistema de defesa do organismo. Não existe vacina e nem tratamento para a infecção e para as doenças relacionadas a esse vírus.

De acordo com o pesquisador do Inpa, Gemilson Pontes, estima-se que existam, no mundo, mais de 20 milhões de pessoas infectadas pelo HTLV tipo 1 e tipo 2 (HTLV-1/2). O Brasil é onde se encontra uma das maiores prevalências da infecção por esse vírus com cerca de 2,5 milhões de pessoas infectadas.

“Estudos demonstram uma prevalência significativa da infecção na região Norte, no entanto, em relação à Amazônia Ocidental, não se sabe qual é esta prevalência, porque são escassos os estudos epidemiológicos voltados para infecção pelo HLTV-1/2 na região”, explica o pesquisador.

Para Pontes, é importante que se conheçam quais são os subtipos virais circulantes e as patologias associadas à infecção por esse vírus. “Como nossa região apresenta índices elevadíssimos de doenças hematológicas, é importante investigar se essas patologias estão associadas à infecções virais, nesse caso, à infecção pelo HTLV-1/2”, explica Pontes.

Segundo o pesquisador, o projeto foi fundamentado há um ano, porém, começou a ser colocado em p rática somente este ano. A pesquisa se baseia no diagnóstico sorológico, molecular e análises filogenéticas da infecção pelo HTLV-1/2, em pacientes com doenças hematológicas. O projeto também visa avaliar as variáveis sociodemográficas que possam estar associadas à susceptibilidade à infecção pelo vírus. Além disso, o estudo também avaliará, por meios de dados laboratoriais, a possível correlação entre a infecção pelo HLTV-1/2 e prognóstico das doenças hematológicas.

Pontes explica que a pesquisa será conduzida, num primeiro momento, com a triagem dos pacientes pelo Hemoam.

HTLV foi descoberto primeiro

Doutor em Ciências Médicas com ênfase em Imunologia, Microbiologia e Patologia e trabalhando no Laboratório de Virologia e Imunologia da Coordenação de Ciências, Ambiente e Saúde (CSAS), Gemilson Pontes explica que o HTLV foi o primeiro retrovírus humano descoberto em 1980 e o HIV, em 1982. Posteriormente, com pesquisas aplicadas em pacientes infectados foram identificadas duas patologias relacionadas à infeção pelo HTLV: a paralisia dos membros inferiores, conhecida como Paraparesia Espática Tropical/Mielopatia associada ao HTLV-1 (PET/HAM) e a Leucemia de Células T Humanas. Estas patologias estão associadas ao vírus tipo 1.

Quanto ao vírus tipo 2, o pesquisador do Inpa explica que ainda não existem provas concretas de patologias associadas à infecção por esse tipo de vírus, contudo, segundo Pontes, há deduções que relacionam a vários outros tipos de doenças.