Publicidade
Cotidiano
Notícias

Inpa lançará segunda edição de livro sobre plantas da família Marantáceas

A publicação, que será lançada ainda em 2013, apresenta informações sobre ecologia e a identificação de 120 espécies de samambaias, entre outras plantas 01/02/2013 às 18:35
Show 1
O guia traz informações gerais sobre as marantáceas, especificamente na Reserva Ducke e na Reserva Biológica do Uatumã, ambas no Amazonas
acrítica.com* Manaus

A Editora do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa/MCTI) lançará este ano a segunda edição do livro “Guia de Marantáceas da Reserva Ducke e da Reserva Biológica do Uatumã”, publicado pelos pesquisadores de ecologia do Instituto, Flávia Costa, Fábio Penna Espinelli e Fernando Figueiredo, que exibe fotos e textos descritivos de plantas da família Marantaceae, como samambaias, entre outras.

O guia traz informações gerais sobre as marantáceas, especificamente na Reserva Ducke e na Reserva Biológica do Uatumã, ambas no Amazonas, além de informações sobre os locais estudados, demonstrações de como usar o guia, chaves de identificação das espécies, glossário e glossário ilustrado, tudo com imagens detalhadas e textos objetivos e bilíngues (português – inglês).

Iniciativa

A ideia surgiu quando a pesquisadora Flávia Costa observou a dificuldade na identificação das espécies quando levava seus alunos para estudar ervas no sub-bosque das florestas. A publicação, segundo a coautora, tem o objetivo de despertar a curiosidade e o interesse na biodiversidade e auxiliar a pesquisa científica.

“Existe pouco material bibliográfico que tenha boas ilustrações e fotos. Então começamos a pensar que valeria a pena produzir guias que ajudassem os profissionais que não são especialistas naquele grupo de plantas. Além disso, queríamos ter também um material que professores pudessem usar para suas aulas, que fosse bem ilustrado e chamativo, e tivesse informações gerais sobre este grupo de plantas que pudessem ser facilmente absorvidas por qualquer pessoa interessada”, explica a pesquisadora.

Sobre a abrangência da publicação, Costa esclarece: “O público é amplo, desde crianças e adolescentes em escolas básicas até o público universitário ou profissional da área acadêmica, passando por turistas interessados na biodiversidade. Procuramos usar uma linguagem simples, que seja acessível a leigos”.

Contribuições significativas

A oportunidade para a realização do livro surgiu em 2007, por meio da disponibilidade de recursos do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio). De acordo com Costa, a reunião de pesquisas intensivas, obtenção de fotos e produção dos textos levaram dois anos.

A pesquisadora adianta que há uma extensão deste guia que engloba mais quatro famílias de ervas pronto para ser impresso, que será lançado em breve, mas já pode ser encontrado na versão digital na página do PPBio.


* Com informações da assessoria de comunicação