Publicidade
Cotidiano
Notícias

Intercâmbio vai melhorar ensino da língua inglesa nas escolas públicas do AM

Amazonense professor da rede pública de ensino é um dos selecionados de todo País para aperfeiçoamento no exterior 13/01/2012 às 09:50
Show 1
O professor André Machado de Souza, escolhido para participar de intercâmbio na Universidade Oregon
Julio pedrosa Manaus

Há sete anos dando aulas de inglês nas escolas das redes estadual e municipal de ensino de Manaus, o amazonense André Machado de Souza, 36, foi escolhido para participar de um programa de intercâmbio internacional visando o aperfeiçoamento no ensino da língua inglesa, na Universidade Oregon (EUA). Ele viaja juntamente com um grupo de 50 professores - divididos em dois grupos - também de escolas públicas de todo o País. Além de participar do programa, eles terão outro desafio ao retornarem: o de  aplicar no dia a dia das salas de aula tudo o que aprenderam em termos de metodologias de ensino da lingua. André será o único de Manaus a participar deste primeiro grupo, que embarca para os EUA no próximo dia 20.

O programa já acontece desde 2010 , tem dois meses de duração e, ao longo desse tempo, cada professor terá que desenvolver um projeto com a finalidade de melhorar a qualidade das aulas de língua inglesa nas suas unidades de ensino. A ideia é permitir que, a partir das novas ferramentas, o interesse e o rendimento dos alunos aumente. André Souza, que dá aulas nas escolas Estadual Tiradentes, no bairro do Petrópolis, e Municipal Vicente de Paula, no Japiim, se diz entusiasmado com a iniciativa.

“Utilizo sempre o notebook e a Internet para dar as minhas aulas em power point e levo sempre vídeos com músicas que despertam o interesse da garotada”, afirma. O notebook que utiliza em sala de aula foi doado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Ele informa ter à disposição também material audiovisual que ajuda os alunos da rede municipal a vencerem as dificuldades em audição e fala. André aponta como uma das deficiências do ensino da língua inglesa o curto período de tempo destinado à disciplina na carga-horária das escolas públicas.

“São dois tempos de 50 minutos por semana, o equivalente a  uma hora e quarenta minutos, o que é pouco tempo para vencermos a dificuldade de falar e entender a parte de audição”, afirma. Para André, o desafio maior está em prender a atenção do aluno. “Costumo trabalhar também com questões de vestibulares passados para que eles (os alunos) tenham uma ideia do que vão encontrar pela frente quando enfrentarem o concurso”, afirmou.

Parceria

A iniciativa do intercâmbio conta com o  apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação do Brasil, Embaixada dos Estados Unidos e Instituto Cultural Brasil Estados Unidos (ICBEU).  Os participantes viajarão com todas as despesas pagas pelo Governo brasileiro. André seguirá no próximo dia 18 para Brasília, onde fará  os procedimentos para a retirada do visto americano e receberá as orientações sobre o programa.