Publicidade
Cotidiano
POLÍTICA

Devido eleições, 'janela partidária' reduz bancadas do PROS e do PSD no Amazonas

Pelo menos 14 parlamentares do estado mudaram de legenda para concorrer nas eleições de outubro. PROS, do ex-governador José Melo, e PSD, do senador Omar Aziz, tiveram maior número de baixas 08/04/2018 às 12:24
Show janela2
Arte: Thiago Rocha
Antônio Paulo Brasília (SUCURSAL)

Com o fechamento da janela partidária, há meia-noite de sexta-feira, pelo menos 14 parlamentares do Estado do Amazonas mudaram de legenda para concorrer nas eleições de outubro deste ano. Confirmados dois deputados federais, oito deputados estaduais e quatro vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM). Os partidos que mais perderam representantes foram o PSD, do senador Omar Aziz, e o PROS, do ex-vice-governador Henrique Oliveira, com baixas de três parlamentares. A legenda que “abocanhou” mais filiados na esfera parlamentar foi o PHS, do presidente da CMM, vereador Wilker Barreto.

Saíram do PSD o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), David Almeida, que assinou filiação no PSB, do deputado estadual Serafim Correa; o deputado Doutor Gomes, que foi para PRP, onde vai comandar o partido no Estado e o deputado federal Átila Lins, que depois de sete anos no PSD migrou para o PP, da ex-deputada Rebecca Garcia.

Os três parlamentares que abandonaram o PROS, antigo partido do ex-governador José Melo, foram: Belarmino Lins, que seguiu o irmão Átila para o PP; o deputado Sidney Leite, que anunciou a mudança para o PSD no último dia da janela partidária, e o vereador da CMM, Roberto Sabino que seguiu para o PHS.

O MDB, do senador Eduardo Braga, ficou sem os deputados estaduais Wanderley Dallas e Vicente Lopes que se filiaram ao PDT, do governador Amazonino Mendes e do deputado federal Hissa Abrahão (presidente estadual do Partido Democrático Trabalhista).

Também com duas baixas, o Democratas (DEM) perdeu o deputado estadual Platiny Soares, que passou como relâmpago pelo PSL, do presidenciável Jair Bolsonaro, mas acabou ficando no PSB, de Serafim Correa e David Almeida, assim como a vereadora Therezinha Ruiz, ex-presidente do Diretório Municipal do DEM, que pousou no ninho tucano do PSDB do prefeito Arthur Virgílio Neto, da mesma forma que a deputada federal Conceição Sampaio. Ela saiu do PP e foi para o PSDB. O Podemos perdeu o vereador de Manaus Felipe Souza e o PSB foi abandonado pelo também vereador da CMM, Rosinaldo Bual.

Entre perdas e ganhos, o presidente da Câmara Municipal de Manaus, Wilker Barreto, convenceu e levou para o PHS três vereadores (Felipe Souza, Roberto Sabino e Rosinaldo Bual). Com duas aquisições ficaram o PP (Átila e Belarmino Lins), PSDB (Conceição Sampaio e Therezinha Ruiz), PSB (David Almeida e Platiny Soares) e PDT (Doutor Gomes e Vicente Lopes). “Embora tenhamos perdido parlamentares no Amazonas, o DEM foi um dos que mais cresceram no Congresso”, disse o deputado Pauderney Avelino.

DEM e PSL ganham reforço

Pelo menos 57 deputados comunicaram à Mesa Diretora Câmara até a tarde desta sexta-feira, último dia da janela partidária. Embora tenha liberdade de mudar de partido a qualquer tempo já que o mandato é majoritário, no Senado, Raimundo Lira deixou o MDB, do qual era líder, e se filiou ao PSD. Em março, o senador Fernando Collor se desligou do PTB e mais outros seis colegas senadores também abandonaram suas legendas. 

Na comparação entre as bancadas do dia 8 de março (primeiro dia da janela) até esta sexta-feira, o Democratas e o PSL foram os partidos que mais ampliaram suas bancadas: cada um ganhou sete deputados. Com isso, o DEM passou de 33 para 40 deputados; e o PSL, de 3 para 10 deputados. Já o PROS ganhou quatro deputados, passando de 6 para 10 deputados na bancada.

Na base aliada, o MDB, partido do presidente Michel Temer, a bancada passou de 58 para 52 deputados. O PP passou de 45 para 47 deputados; já o PSDB passou de 46 para 44 deputados. O PSD ganhou deputados: passou de 41 para 43 deputados. O PR ganhou um deputado, passando de 37 para 38 deputados. Na oposição o PT mantém a bancada de 57 deputados. O PCdoB também manteve a bancada de 11 deputados. O PDT passou de 21 para 22 deputados.

Afastados

O dia 7 de abril também foi último dia para a desincompatibilização dos cargos do Poder Executivo de quem quer se candidatar a cargo eletivo em outubro de 2018, filiação partidária e registro de partidos políticos.

Sem mencionar a que vai concorrer, o deputado federal Arthur Bisneto deixou a Casa Civil da Prefeitura de Manaus e voltou para a Câmara dos Deputados, desalojando o suplente dele Carlos Souza.

O vice-prefeito Marcos Rotta (PSDB) entregou o cargo de secretário municipal de Infraestrutura (Seminf), ficando apto à disputa, assim como vice-governador Bosco Saraiva que já havia deixado a Secretaria de Segurança Pública e o secretário executivo dele Amadeu Soares.

Publicidade
Publicidade