Publicidade
Cotidiano
Notícias

Jogador "correspondente" em Manaus

Manicoré contrata meia só para jogos longe do seu campo 15/01/2012 às 11:30
Show 1
Everton deixa futebol em segundo plano para ser técnico em petróleo e gás
Roberto Araújo Manaus

Se você acha que já viu tudo no futebol, está enganado. O futebol além de imprevisível não é tão simples como pode parecer. Esse ano uma “estrela cadente" irá entrar em cena, mas apenas nos jogos próximos a Manaus. O clube CDC Manicoré  (município a 333 km em linha reta da capital) contratou um jogador que por incrível que pareça vestirá a camisa do clube apenas em jogos disputados próximo à capital Amazonense, ou seja, só irá dar o ar da graça para a torcida adversaria em 2012.

 O nome da fera é Everton da Silva Mendonça, jogador que faz 22 anos hoje, e  disputou a Série B pelo  Bacurau ano passado. E deve ter deixado uma boa impressão para ter esse privilégio inédito no futebol mundial.

O meia começou a carreira aos 16 anos nas categorias de base do São Raimundo, antes de ser transferido para o profissional do Rio Negro, aos 19 anos, clube que o projetou para o futebol amazonense.

Pelo sim, pelo não, é a esperança de dias melhores para o CDC. Nele, o clube aposta suas fichas, uma vez que o Bacurau não passa por um bom momento financeiro, o que impede de fazer contratações, contando com jogadores selecionados em competições do próprio município.

O meia Everton, foi procurado pela diretoria para fechar contrato, mesmo depois de decidir  pendurar as chuteiras.

Mesmo diante da condição de não jogar em Manicoré, a diretoria aceitou suas imposições, resolveu assinar o contrato e já anunciou que conta com ele desde a primeira rodada.

Um dos principais pontos colocados pelo jogador antes de fechar o contrato, foi que não sairia de Manaus, uma vez que não abriria mão de se dedicar aos estudos de uma nova profissão.

Everton é  técnico de gás e petróleo, e diz estar mais interessado na vida fora dos campos, o que inclui um relacionamento amoroso sério com a noiva  Patrícia, a quem prometeu não deixar Manaus por causa do futebol profissional.

A chegada do atleta é marcada por um clima amistoso dentro do grupo. ”Os garotos são excelentes companheiros, queriam que eu fosse fazer a pré-temporada com eles, mais entenderam minha decisão“, completou o mais novo contratado do Manicoré, que não colocará os pés no interior.