Publicidade
Cotidiano
Notícias

'Julinho do Areal', suspeito de matar taxista, é preso

Julinho foi preso em casa por volta das 20h30 por policiais do Grupo de Investigações Criminais da Polícia Civil. Ele é o mesmo que estava ferido no Hospital 28 de Agosto quando taxistas tentaram invadir o prédio apra linchá-lo. 25/07/2012 às 23:36
Show 1
Cerca de 500 taxistas se reuniram em frente ao 1º DIP, na tentativa de ver o autor do crime.
Bruno Strahm e Camila Pereira ---

Julison Correa de Carvalho, o “Julinho do Areal”, 28, suspeito de matar o taxista José Vieira dos Santos na madrugada de quarta-feira (25) foi preso. De acordo com informações preliminares, ele foi preso em sua casa, localizada no Beco Solimões, bairro Aleixo, zona Sul de Manaus, ainda nesta quarta-feira às 20h30 pelo Grupo de Investigações Criminais da Polícia Civil, coordenados pelo Delegado Emerson Negreiros.

Após a prisão ele foi encaminhado para o 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP) no bairro Praça 14, na rua Duque de Caxias, centro de Manaus.  Centenas de taxistas se encaminharam para o local ao saberem da prisão de Julinho e tentaram invadir o prédio, a polícia teve de disparar tiros ao alto para dispersar a multidão.

Julinho do Areal é o mesmo que esteve ferido no Hospital 28 de Agosto, quando centenas de taxistas revoltados também tentaram invadir o local para linchá-lo e foram impedidos por policiais militares que foram chamados para realizaremum cerco ao hospital. O suspeito já tem passagem pela polícia. Ele teria matado um taxista no ano de 2009 e ao sair da prisão, matou mais dois profissionais e cometeu assaltos contra outros motoristas, segundo informações de colegas da vítima.

Um grupo de quase 500 taxistas se reuniram em frente ao 1º DIP na tentativa de invadir o local e ver o suspeito dos crimes. Para conter os ânimos, policiais dispararam tiros para cima.

Os taxistas estão receosos que o criminoso saia impune ou que ele seja solto brevemente. "Estamos felizes porque ele foi preso, mas só queremos que a Justiça continue e que ele não seja solto. Nós temos medo de que ele saia e ataque novos taxistas, porque esta é a vingança dele. Em outra ocasião, quando foi preso, ele disse que seria solto e voltaria para matar os taxistas", disse um taxista que não quis ser identificado com medo de represálias.

Taxista há 10 anos, Francisco Almene diz que a situação da segurança tanto dos motoristas, quanto do Amazonas, está alarmante. "A todo momento podemos ver e ouvir crimes praticados em Manaus. Estre rapaz que foi preso, já é a terceira vez, e hoje tirou a vida de um pai de família. O único desejo é que a segurança permaneça", desabafou.

A apresentação de Julison Correa de Carvalho será feita às 11h desta quinta-feira (26).