Publicidade
Cotidiano
em tabatinga

Laudo preliminar confirma contaminação após surto de diarreia no AM

Análise - que confirmou coliformes e bactérias intestinais nas amostras de água coletadas no Rio Solimões e na entrada dos reservatórios da Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama) - foi feita após o registro de mais de 2.500 casos de doenças diarreicas no município de Tabatinga (AM) 15/06/2016 às 18:37
Show tamatinga
Surto lotou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município e obrigou FVS a abrir investigação epidemiológica (Foto: Arquivo/AC)
Bianca Paiva/Agência Brasil Manaus (AM)

O laudo divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS) nesta semana revela a presença de coliformes e bactérias intestinais nas amostras de água coletadas no Rio Solimões e na entrada dos reservatórios da Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama) antes de passar por tratamento. Já a água tratada pela empresa não apresentou bactérias.

A análise foi feita após o registro de mais de 2.500 casos de doenças diarreicas no município de Tabatinga, na região do Alto Solimões.

Também foram examinadas amostras biológicas dos pacientes e o laudo mostrou a presença de rotavírus, bactérias e protozoários intestinais, como giárdia e ameba, que causam vômitos e diarreia.

Segundo o presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, o trabalho de análise da água na cidade vai continuar para que se verifique a relação dos casos de doenças diarreicas com a água e alimentos contaminados.

“Infelizmente não se teve a oportunidade de fazer a captação naquele momento na ponta, ou seja, nos domicílios. É uma situação na qual nós temos que fazer uma avaliação, digamos, mais completa, até para poder exatamente ter uma consistência maior nessa hipótese da água ou de alimentos”, disse Albuquerque.

Outras fontes de água da população de Tabatinga, como poços e cacimbas, também serão analisadas, pois apenas 50% das residências do município recebem água tratada da Cosama.

A FVS informou que a situação em Tabatinga está sob controle e houve queda no número de casos de doenças diarreicas após a adoção de algumas medidas.

“No primeiro momento, foram corrigidas algumas inconsistências no sistema de tratamento, a distribuição de hipoclorito está sendo feita pela Secretaria Municipal de Saúde, assim como a questão da educação e saúde. Tanto é que, à medida em que se fez essa intervenção, o número de casos realmente caiu sensivelmente na semana subsequente e praticamente acho que essa semana a gente vai chegar a um patamar da normalidade em Tabatinga”, disse Albuquerque.

A Fundação recomenda à população de Tabatinga que continue usando o hipoclorito de sódio para purificar a água.

Um laudo conclusivo das amostras de água deve sair no final da próxima semana.