Publicidade
Cotidiano
Notícias

Longevidade: Parintinense celebra 102 com grande festa

Elvino de Matos Medeiros reuniu seus dez filhos, 80 netos, 26 bisnetos e quatro trinetos para festejar os seus 102 02/01/2012 às 08:14
Show 1
Rodeado dos descendentes mais novos, Elvino não conseguia disfarçar a emoção de ver a família reunida
Felipe Libório ---

Neste domingo (1), no primeiro dia do ano, uma casa da Cidade Nova 2, Zona Norte, ainda continuava em festa. É que a família do aposentado Elvino de Matos Medeiros reuniu seus dez filhos, 80 netos, 26 bisnetos e quatro trinetos para festejar o seu aniversário de 102 anos. Desde o centésimo aniversário do patriarca, a família faz uma grande festa em comemoração. “Para nós é uma grande alegria ter o nosso pai vivo e podendo ver a família grande desse jeito”, diz a filha mais nova de Elvino, Lúcia Medeiro, 55.

A história de vida de Elvino se confunde com a de muitos outros que saíram do interior para buscar uma vida melhor na cidade. Nascido em Parintins no ano de 1910, ele veio para Manaus aos 18 anos para servir o Exército. Aqui ele conheceu aquela que seria sua companheira durante toda a vida, Maria de Lurdes de Assunção Pará, falecida em 2006, aos 81 anos de idade. Depois de ser dispensado do serviço militar, mudou-se para uma comunidade no Município de Itacoatiara. No interior, Elvino trabalhava no cultivo da juta e viu nascer nove de seus dez filhos.

Após 15 anos, Elvino e sua família se mudaram para a cidade em busca de melhores condições de vida. “Ele sempre foi um super pai para todos nós. Batalhou muito para educar os filhos e nos dar uma vida melhor”, diz o filho mais velho de Elvino, Raimundo Medeiros, 65. Elvino e sua esposa não eram casados. Há 20 anos, ambos se converteram à religião evangélica e decidiram oficializar a união de mais de 60 anos. Desde que a esposa faleceu, Elvino mora com uma de suas filhas, Maria da Conceição Cordeiro, 56. A filha de Maria, Elaine de Souza, 38, conta como é ter um avô centenário. “Para mim é uma honra muito grande ser neta dele. Ter um avô vivo por tanto tempo é um privilégio que poucas pessoas têm. Para nós ele é um referencial de trabalho e dedicação à família”, diz ela. Elaine é professora de História e Geografia e diz que usa a história de vida do avô em suas aulas. “Ele é um exemplo de tantas outras pessoas que deixam o interior para buscar uma vida melhor na cidade. Um dia eu pretendo escrever um livro com as memórias do meu avô”, afirma.

Desafio

Com as quatro gerações reunidas, a família do aniversariante se reuniu para cantar os parabéns a Elvino. Emocionado, ele desafiou a sua avançada idade e agradeceu pelo nome a cada um dos presentes.