Publicidade
Cotidiano
Notícias

'Maçonaria está forte no Amazonas'

Grande chanceler do Supremo Conselho do Grau 33, Antônio Carlos Ramos fala sobre a situação das instituições no Estado 10/06/2012 às 15:21
Show 1
Grande chanceler do Supremo Conselho do Grau 33, Antônio Carlos Ramos.
Milton de Oliveira Manaus (AM)

A maçonaria é uma das instituições mais antigas e tradicionais no Ocidente e se notabilizou pelos “segredos” e as ações beneficentes que realiza. Grande chanceler do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o rito escocês antigo e aceito, Antônio Carlos Barbosa Ramos,  esteve semana passada, em Manaus, para participar da inauguração de cinco lojas (organizações) maçônicas no Amazonas. Confira a entrevista.

Qual é a situação da instituição no Amazonas?

Está extremamente forte e pujante. O número de adeptos está crescendo muito.  O objetivo da maçonaria é fazer que o homem seja consciente de seus deveres e obrigações, que ele seja útil à sociedade. A maçonaria é a favor do bem-estar social e individual do ser humano. Não somos contra governos ou religiões. É óbvio que, se governos e religiões trabalham de forma inadequada para esse bem-estar das sociedades, por exemplo, na Amazônia, então é evidente, que a maçonaria terá de ser contra. Então, o principal objetivo é a revalorização do homem perante Deus, a sociedade e perante a si mesmo, dando a vida à coletividade.

Quantas lojas maçônicas existem no Amazonas?

Em torno de 500 e cada uma com aproximadamente 50 adeptos. Inauguramos mais cinco agora. Todas estão interligadas e dirigidas pelo Supremo Conselho do Brasil. No País temos mais de 500 mil adeptos e  nos reunimos de acordo com as necessidades da região.

Qual é a posição da Amazônia dentro da hierarquia dos senhores?

É mais privilegiada possível. Porque as maiores mentes pensantes, esclarecidas e iluminadas, sempre vêm dessa região do País. Nós temos um grão-mestre no Amazonas muito capaz de desenvolver os objetivos exigidos pela maçonaria.

O que é o Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito e por que esses nomes?

É a faculdade de Filosofia da maçonaria do Brasil, com abrangência em todo território nacional. O rito escocês é uma forma, um caminho de atingir os objetivos necessários para um determinado momento. É a forma de trabalho (da maçonaria). E, tudo o que aconteceu para o bem-estar da humanidade foi engendrado dentro de um corpo escocês, dentro da maçonaria.

Esses termos são os usados porque, no passado, a maçonaria era estabelecida por reis, barões, duques etc.

A maçonaria é uma seita, uma religião?

Dizem que ela é uma seita, uma religião. Não é. Maçonaria é uma filosofia de vida pela qual o homem defende seus direitos porque ele pratica seus deveres. Então dizer que  é uma religião, isso é dizer uma maldade muito grande, que viemos sofrendo desde as épocas remotas. Mas, o que importa é que a obra seja feita por meio das ações que maçonaria desenvolve, inclusive no Amazonas, porque a Amazônia é brasileira.

Como está organizada?

Existe a parte primária, o que chamamos de graus simbólicos, formados por um, dois e três graus, que é dirigida por um grão-mestre estadual. Cada Estado tem um. Em Brasília está o grão-mestre geral. Em seguida, passamos para os graus filosóficos que vão do quatro até o 33. Nesses graus o regime é monárquico, autoritário. É a alta maçonaria. Com os conhecimentos da maçonaria inicial, nós chegamos à maçonaria, em que o homem toma conhecimento, de fato, das formas de ação nacional e internacional, que são aplicadas ao longo da história.

Quem são os adeptos?

Na maçonaria estão desde o mais simples até o mais preparado porque precisamos saber o que acontece em todas as camadas sociais, quais são os anseios dessas camadas e como os objetivos vão ser atingidos.

A instituição realiza trabalhos sociais?

Sim. Todos os tipos de trabalhos, que visam o bem-estar e o progresso do homem. No Amazonas em geral, realizamos trabalhos em creches, serviços assistenciais, aos esquecidos pelos organismos. Em Manaus, temos uma sede de estudo de problemas brasileiros e da Região Amazônica e em temas ambientais também.

Por que há segredos na maçonaria?

Porque os assuntos tratados em reunião são assuntos sérios. Por isso trabalhamos em segredo pelo bem-estar do homem.

Atividades

As lojas maçônicas que funcionam no Amazonas, chegam a quinhentas, sendo que cada uma tem, em média, 50 adeptos.  Na última semana, outras cinco foram inauguradas no Estado.