Publicidade
Cotidiano
Notícias

Mais de 196 mil pessoas já tomaram a vacina contra a gripe no Amazonas

O balanço parcial da Campanha de Vacinação Contra a Gripe mostra que 12,2 milhões de pessoas em todo o país já estão imunizadas, o que representa 41% de cobertura vacinal 17/05/2012 às 21:28
Show 1
A meta no Amazonas é vacinar 575.873 pessoas
Ministério da Saúde Brasília

Mais de 196,6 mil pessoas já foram vacinadas contra a influenza no Amazonas, 34,14% das 575.873 previstas. Na região Norte, foram vacinadas 851,4 mil pessoas. O número corresponde a 38% do público-alvo, que é de 2,2 milhões de imunizados, segundo dados do Ministério da Saúde (MS).

O balanço parcial da Campanha de Vacinação Contra a Gripe mostra que 12,2 milhões de pessoas em todo o país já estão imunizadas, o que representa 41% de cobertura vacinal. Os números foram atualizados até a manhã desta quinta-feira (17). A campanha, que teve início em 5 de maio, segue até o dia 25 deste mês. Quem ainda não se vacinou, pode procurar um dos postos de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 24,1 milhões de pessoas, ou seja, 80% do público alvo: pessoas com mais de 60 anos de idade, trabalhadores de saúde, crianças entre seis meses e menores de dois anos, gestantes e povos indígenas.

As crianças são as que apresentam o melhor percentual de cobertura até o momento. Mais de 2 milhões de crianças foram colocadas ao alcance da vacina, correspondendo a 48% do total de 4,3 milhões. Os pais devem estar atentos para a vacinação dos filhos. Crianças vacinadas pela primeira vez deverão tomar duas doses da vacina, com intervalo de 30 dias. Já crianças que receberam uma ou duas doses da vacina em 2011 deverão tomar apenas uma dose em 2012.

Entre as gestantes, a campanha já imunizou 808,7 mil, o que indica 37% de cobertura vacinal em relação ao público alvo 2,1 milhões de futuras mães. Também já procuraram os postos de saúde em busca da vacina mais de 8,3 milhões de idosos. Esse número representa 40% de cobertura vacinal. Ao todo, este público alvo chega a 20,5 milhões de pessoas.

Já a população indígena recebeu 159,9 mil doses da vacina. Neste grupo a cobertura vacinal, até o momento, corresponde a 27% em relação à população total de 586,6 mil. Neste público, a vacinação ocorre nas aldeias onde eles vivem. Trata-se de uma população que habita em áreas remotas, de difícil acesso, e, por isso, os dados só são inseridos no sistema de informações depois que as equipes voltam das aldeias.

Os profissionais que se vacinaram somam 947,2 mil, correspondentes a 38% do total, de mais de 2,4 milhões de profissionais que atuam no atendimento aos doentes nas unidades de referências para o agravo. A ideia é preservar esta força de trabalho e, consequentemente, evitar a propagação da doença para a população de alto risco.

Os dados foram repassados ao Ministério da Saúde pelas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e estão em constante alteração. À medida que estados e municípios incluam no sistema informações sobre doses já aplicadas, o percentual de cobertura nacional deverá aumentar. Assim, os dados podem não refletir todos os vacinados até o momento, mas sim os registros feitos no sistema online de acompanhamento da vacinação.

Regiões

A região Sul concentra, proporcionalmente, a maior quantidade de pessoas que buscaram um posto de vacinação e se protegeram contra a gripe nas vésperas da chegada do inverno. Lá, foram aplicadas 2,1 milhão de doses, o que corresponde a 47% do público-alvo, que soma mais de 4,4 milhões.

Em seguida, aparece a região Centro-Oeste, onde 854,4 mil pessoas foram vacinadas, alcançando cobertura de 43% do público-alvo de 2 milhões. Na região Nordeste, 3,2 milhões de pessoas foram vacinadas, ou seja, 40% do total de 8,1 milhões.

Já no Sudeste, 5,1 milhões de pessoas receberam a dose da vacina contra a gripe, o que representa 39% de cobertura. A soma do público-alvo na região chega a 13,2 milhões de pessoas.

Público alvo

A escolha dos grupos foi recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil estudos epidemiológicos evidenciaram que estes grupos são mais atacados pela gripe, podendo apresentar complicações que podem evoluir para óbito. Ao vacinar o grupo prioritário os resultados são sentidos em toda a sociedade, uma vez que se quebra a cadeia de transmissão do vírus da doença.

De acordo com a OMS, a vacina influenza é segura e não há nenhuma contra-indicação à vacinação de gestantes.